• Seg. Jul 22nd, 2024

Israel e Hezbollah trocam tiros na fronteira com o Líbano

Byadmin

Jun 12, 2024

O grupo militante libanês Hezbollah, apoiado pelo Irã e aliado do Hamas, disparou cerca de 160 projéteis contra Israel na quarta-feira, depois que Israel matou um de seus principais comandantes, Taleb Sami Abdullah, na terça-feira, disseram as Forças de Defesa de Israel.

Militantes do Hezbollah e forças israelenses trocaram tiros através da fronteira norte de Israel com o Líbano quase todos os dias desde o ataque do Hamas em 7 de outubro, que desencadeou a guerra em curso com o Hamas em Gaza. Hezbollah diz que só vai parar de disparar foguetes contra Israel se houver um cessar-fogo em Gaza.

O Hezbollah disse que disparou mísseis e foguetes contra duas bases militares israelenses em retaliação ao ataque israelense a uma casa a cerca de dez quilômetros da fronteira norte de Israel, dentro do Líbano, que matou Abdullah, 55, e três outros funcionários do Hezbollah que estavam reunidos lá, The Associated A imprensa noticiou. Abdullah estava encarregado das operações militares do Hezbollah ao longo da região central da fronteira Líbano-Israel, disse um oficial do Hezbollah à agência de notícias Reuters.

Há meses que se teme que a guerra entre Israel e o Hamas possa evoluir para um conflito regional mais amplo. Tal como o Hamas e vários outros grupos que operam na região, o Hezbollah é apoiado pelo Irão. Ambos os grupos são há muito designados como organizações terroristas pelos EUA, Israel e pela União Europeia, mas o Hezbollah é considerado uma força de combate muito mais bem organizada e melhor equipada.

Os ataques israelitas mataram pelo menos 400 pessoas no Líbano desde que o Hamas lançou o seu ataque terrorista contra Israel, em 7 de Outubro, incluindo 70 não-combatentes, segundo a Associated Press. Em Israel, as autoridades dizem que 15 soldados e 10 civis foram mortos no norte pelo fogo do Hezbollah.

Dezenas de milhares de pessoas foram deslocadas das suas casas em ambos os lados da fronteira como resultado da violência. O Hezbollah disse que não pretende uma guerra em grande escala com Israel, mas a intensidade e o alcance dos ataques transfronteiriços aumentaram nas últimas semanas.

Na semana passada, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, alertou que Israel estava preparado para montar uma resposta “extremamente poderosa” aos contínuos ataques do Hezbollah durante uma visita à zona fronteiriça, e Israel aumentou o número de reservistas que pode convocar de 50.000 para cerca de 350.000, informou o jornal Guardian.

Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *