• Seg. Jul 22nd, 2024

Autoridades de El Salvador queimam pilha de 2,7 toneladas de cocaína em meio à repressão de gangues

Byadmin

Jun 13, 2024

As autoridades de El Salvador queimaram uma pilha de 2,7 toneladas de cocaína no valor estimado de US$ 67,5 milhões. Polícia salvadorenha libertada imagens e vídeo esta semana, da enorme pilha de drogas queimada na cidade de Ilopango, a leste da capital, San Salvador.

A cocaína foi apreendida em maio, a mais de 1.600 quilômetros da costa de El Salvador, de sete homens em barcos. Dois equatorianos, dois colombianos e três mexicanos foram presos. A polícia não detalhou suas acusações exatas.

O governo de El Salvador implementou uma repressão generalizada às gangues e aos traficantes de drogas desde a eleição de Presidente Nayib Bukele em 2019. Foi empossado para um segundo mandato no dia 1º de junho após ser reeleito com 85% dos votos. Sob a sua liderança, o governo declarou estado de emergência em Março de 2022, o que levou a detenções em massa de dezenas de milhares de supostos membros de gangues.

Recentemente, o governo de El Salvador transferiu cerca de 2.000 supostos membros de gangues de prisões de todo o país para uma nova “megaprisão” com capacidade para 40.000 pessoas em Tecoluca, a sudeste da capital. Em um vídeo altamente produzido compartilhado por Bukele nas redes sociais, os prisioneiros são vistos sendo escoltados para dentro das instalações sob guarda fortemente armada. Bukele prometeu que os prisioneiros “pagariam pelos crimes cometidos contra o nosso povo”.

A violência das gangues foi generalizada no país há décadas, com estimativas oficiais colocando o número de membros de gangues no país entre 60.000 e 86.000, de acordo com Vigilância dos Direitos Humanos. El Salvador teve uma elevada taxa de homicídios de longa data, que atingiu o pico de 105 por 100.000 pessoas em 2015, antes de cair para um mínimo histórico em 2022.

As tácticas anti-crime do governo Bukele foram criticadas por grupos de direitos humanos devido a preocupações com o devido processo legal e o confinamento arbitrário.

Até fevereiro deste ano, mais de 78 mil detenções arbitrárias foram registradas, levando a uma superlotação carcerária de aproximadamente 148%, com pelo menos 235 mortes sob custódia do Estado, de acordo com Anistia Internacional. A organização também relatou 327 desaparecimentos forçados.

A Human Rights Watch adverte que o governo de Bukele “desmantelou sistematicamente os freios e contrapesos democráticos”. A constituição do país proíbe a reeleição imediata do presidente, mas uma decisão judicial abriu caminho para o retorno de Bukele.

A administração Biden também expressou preocupação, recusando um pedido de reunião com Bukele em 2021 e sancionando vários dos seus principais assessores.

No entanto, as relações dos EUA com Bukele parecem ter mudado já que uma delegação de alto nível foi enviada para assistir à sua posse de segundo mandato. A Associated Press relatado a mudança pode ser atribuída a uma mudança nas prioridades da administração Biden em combate à imigração ilegal. As políticas de segurança pública de El Salvador são responsáveis ​​por uma queda de 60% na migração do país centro-americano para os EUA desde que Bukele assumiu o cargo.



Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *