• Dom. Jul 14th, 2024

Administrador da FAA diz que supervisão anterior da Boeing foi “muito interventiva”

Byadmin

Jun 14, 2024

O principal funcionário da Administração Federal de Aviação reconheceu na quinta-feira que a agência não supervisionou adequadamente a Boeing e que deveria ter tido melhor visibilidade das práticas de segurança do fabricante de aviões muito antes de o painel da porta de um avião explodir durante o voo em 5 de janeiro.

Mike Whitaker, o administrador da agência, compareceu perante o Comitê de Comércio, Ciência e Transporte do Senado semanas depois que a Boeing, que passou por uma série de problemas, apresentou um plano abrangente detalhando como revisaria suas práticas de controle de qualidade e cultura de segurança.

“A abordagem da FAA foi muito indiferente, muito focada em auditorias burocráticas e não focada o suficiente em inspeções”, disse Whitaker. “Mudamos essa abordagem nos últimos meses e essas mudanças são permanentes.”

Whitaker disse que as mudanças incluem o aumento permanente do uso de inspeções presenciais pela agência e a proibição de a Boeing aumentar a produção de seus jatos 737 Max até que a agência esteja satisfeita com o controle de qualidade e as melhorias de segurança da empresa. A FAA também continuará presente nas fábricas da empresa e em um de seus fornecedores, a Spirit Aerosystems.

Whitaker disse que planeja continuar envolvido com os executivos da Boeing e garantir pessoalmente que as mudanças sejam feitas. Ele disse que visitaria a fábrica da Boeing em Charleston, SC, este mês e faria outra viagem à fábrica de Renton, Washington, em setembro.

Como parte do plano de 90 dias apresentado pela Boeing, a FAA também se reunirá semanalmente com a empresa para garantir que está atingindo as metas traçadas.

A audiência foi a mais recente realizada por um comitê do Congresso focado no setor de aviação desde que o painel da porta, conhecido como plugue da porta, explodiu durante um voo da Alaska Airlines logo após o avião decolar de Portland, Oregon. jatos, mas permitiu que retornassem aos céus no final de janeiro, após serem inspecionados. Ninguém ficou gravemente ferido durante o incidente.

Um relatório preliminar divulgado pelo Conselho Nacional de Segurança nos Transportes disse que quatro parafusos destinados a fixar o plugue da porta estavam faltando antes do painel sair do avião. O relatório descreveu uma série de eventos que podem ter permitido que o avião fosse entregue à Alaska Airlines sem esses parafusos. Os principais documentos que os investigadores do conselho de segurança têm procurado não existem, disse Whitaker.

Além da investigação do conselho de segurança, a FAA também abriu diversas investigações sobre questões de fabricação na Boeing. Whitaker disse que eles estavam analisando os relatórios de denúncias que a agência recebeu desde o incidente.

“Utilizaremos toda a extensão de nossa autoridade de fiscalização para garantir que a Boeing seja responsabilizada por qualquer descumprimento”, disse ele.

A senadora Maria Cantwell, democrata de Washington e presidente do Comitê de Comércio, pediu que Whitaker fizesse grandes mudanças na cultura de segurança na FAA e implementasse alguns dos mesmos processos e práticas que a agência está pedindo à Boeing.

“Precisamos saber que mudanças sob sua supervisão, Administrador Whitaker, restaurarão a supervisão adequada da fabricação para alcançar a excelência que queremos ver na Boeing e em outros fabricantes, e garantir que a FAA esteja estabelecendo o padrão ouro para supervisão de segurança”, Sra. Cantwell disse em seus comentários iniciais.

Espera-se que o presidente-executivo da Boeing, Dave Calhoun, testemunhe perante outro painel do Senado na terça-feira.

Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *