• Seg. Jul 22nd, 2024

Irã expande ainda mais suas capacidades nucleares: Cão de Vigilância da ONU

Irã expande ainda mais suas capacidades nucleares: Cão de Vigilância da ONU

O órgão de vigilância da ONU disse que o Irão intensificou significativamente o seu programa nuclear.

Viena:

O Irão está a expandir ainda mais as suas capacidades nucleares, disse quinta-feira a Agência Internacional de Energia Atómica, uma semana depois de o conselho de governadores da agência ter aprovado uma resolução criticando a falta de cooperação de Teerão com o órgão de vigilância nuclear da ONU.

A AIEA informou aos seus membros que Teerão disse à agência que estava a instalar mais cascatas nas instalações de enriquecimento de Natanz e Fordow, segundo um comunicado enviado à AFP.

Uma cascata é uma série de centrífugas, máquinas utilizadas no processo de enriquecimento de urânio. Uma fonte diplomática considerou esta evolução como “moderada”.

A moção apresentada pela Grã-Bretanha, França e Alemanha – mas contestada pela China e pela Rússia – no conselho de administração de 35 países da AIEA na semana passada foi a primeira do género desde Novembro de 2022.

A resolução – que Teerã classificou de “precipitada e imprudente” – surgiu em meio a um impasse sobre a escalada das atividades nucleares do Irã e enquanto as potências ocidentais temem que Teerã possa estar tentando desenvolver uma arma nuclear, uma afirmação que o Irã nega.

Embora nesta fase seja de natureza simbólica, a moção de censura visa aumentar a pressão diplomática sobre o Irão, com a opção de potencialmente remeter a questão ao Conselho de Segurança da ONU.

No passado, resoluções semelhantes levaram Teerão a retaliar, removendo câmaras de vigilância e outros equipamentos das suas instalações nucleares e intensificando as suas actividades de enriquecimento de urânio.

“O relatório divulgado hoje pela AIEA deixa claro que o Irão pretende continuar a expandir o seu programa nuclear de formas que não têm qualquer propósito pacífico credível”, disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Matthew Miller, num comunicado.

“O Irão deve cooperar com a AIEA sem mais demora para implementar plenamente as suas obrigações de salvaguardas juridicamente vinculativas.”

De acordo com a AIEA, o Irão é o único Estado sem armas nucleares a enriquecer urânio até ao elevado nível de 60 por cento – pouco abaixo do grau de armamento – enquanto continua a acumular grandes reservas de urânio.

A AIEA afirmou que Teerão intensificou significativamente o seu programa nuclear e agora tem material suficiente para construir várias bombas atómicas.

A república islâmica rompeu gradualmente com os compromissos assumidos no âmbito do acordo nuclear que assinou com as potências mundiais em 2015.

O acordo histórico proporcionou ao Irão alívio das sanções ocidentais em troca de restrições ao seu programa atómico, mas desmoronou após a retirada unilateral dos Estados Unidos sob o então presidente Donald Trump em 2018.

Os esforços para relançar o acordo falharam até agora.

(Exceto a manchete, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Source

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *