• Qui. Jul 18th, 2024

Dana Bash e Jake Tapper da CNN deixam Trump e Biden serem as ‘estrelas do show’

Byadmin

Jun 28, 2024

Os microfones foram silenciados. Os moderadores também.

Apesar de todos os logotipos da CNN preenchendo as telas dos espectadores e da publicidade incessante que a rede colocou no debate do horário nobre de quinta-feira entre o presidente Biden e o ex-presidente Donald J. Trump, os âncoras Jake Tapper e Dana Bash ficaram em segundo plano enquanto moderavam.

Praticamente não houve checagens de fatos em tempo real das inúmeras afirmações infundadas do Sr. Trump. Em momentos tensos, os moderadores deferiram aos candidatos para abordar diretamente as alegações uns dos outros. E as preocupações de que o Sr. Trump pudesse escolher uma briga de parar o show com seus interlocutores da CNN se mostraram infundadas.

O nome do Sr. Tapper foi mencionado apenas duas vezes no decorrer de 90 minutos. O nome da Sra. Bash não foi pronunciado nenhuma vez.

A CNN deixou claro com antecedência que seus moderadores atuariam como facilitadores, não como participantes. Seu presidente, Mark Thompson, chamou Biden e Trump de “as estrelas do show”. Nessa frente, a rede teve sucesso.

A concordância dos telespectadores com essa abordagem pode depender de suas inclinações partidárias, e alguns apoiadores de Biden rapidamente reclamaram que os moderadores deixaram muitas falsidades passarem sem contestação.

Mas o formato incomum deste debate — o primeiro em décadas a ser totalmente controlado por uma única rede de televisão — foi totalmente negociado e acordado por ambas as campanhas.

Embora o Sr. Trump tenha um histórico de atropelar os procedimentos de debates e zombar dos moderadores, na quinta-feira ele demonstrou uma disciplina recém-descoberta, raramente interrompendo seu oponente ou qualquer um dos apresentadores da CNN. O resultado foi uma noite notavelmente livre de conversas cruzadas ou momentos caóticos que podem ter obrigado os moderadores a intervir.

Foi um aspecto técnico da transmissão que pareceu ter mais efeito do que qualquer uma das perguntas ou acompanhamentos feitos pelos moderadores.

A decisão de silenciar os microfones dos candidatos quando não era a vez deles de falar foi insistida por assessores seniores de Biden, que reclamaram da recusa de Trump em seguir as regras básicas durante o primeiro debate indisciplinado entre os dois em 2020.

Mas na quinta-feira, a capacidade de silenciamento pareceu se adequar melhor ao conjunto de habilidades televisivas do Sr. Trump. Sua bombástica, muitas vezes livre de fatos e contexto, era um contraste gritante com as respostas muitas vezes desconexas e instáveis ​​do Sr. Biden. O Sr. Trump era melhor em empacotar frases de efeito no tempo alocado.

E enquanto os moderadores se recusaram a pressionar o Sr. Trump sobre algumas de suas falsidades mais absurdas, o Sr. Biden frequentemente deixava essas oportunidades passarem também. Quando o Sr. Trump sugeriu sem fundamento que o Sr. Biden havia encorajado os ataques militares de Vladimir V. Putin, coube ao atual presidente rejeitar a afirmação. Ele simplesmente chamou isso de “malarkey”.

Follow-ups ocorreram, notavelmente quando a Sra. Bash pressionou o Sr. Trump três vezes para declarar se ele aceitaria os resultados da eleição de novembro. Três vezes, o Sr. Trump se recusou a responder diretamente à pergunta.

E o Sr. Tapper, em determinado momento, se viu pedindo ao Sr. Trump que fizesse uma tentativa, mesmo que sem muito entusiasmo, de responder à pergunta que o âncora tinha acabado de fazer.

“Então, presidente Trump, você tem 67 segundos restantes”, disse Tapper secamente, depois que Trump saiu pela tangente sobre a China e usou a frase “candidato da Manchúria” para descrever Biden. “A questão era: ‘O que você vai fazer para ajudar os americanos que estão sofrendo com o vício agora e que estão lutando para obter o tratamento de que precisam?’”

No início da noite, houve um momento em que Trump pareceu tentado a violar as regras. Claramente irritado, ele tentou responder a uma resposta de Biden sobre o aborto, mas seu microfone estava mudo e os telespectadores em casa não conseguiam ouvi-lo. A câmera mudou para o Sr. Tapper, que avançou com sua próxima pergunta.

Quando o Sr. Trump reapareceu, ele havia feito algo com que muitos de seus espectadores regulares podem não estar acostumados: ele ficou em silêncio.

Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *