• Seg. Jul 15th, 2024

Shark Beach leva Anthony Mackie de falcão a caçador de tubarões

Byadmin

Jul 3, 2024
Anthony Mackie no Rio

Se Charlotte, Carolina do Sul, é o coração pulsante do Sul, Nova Orleans é sua alma. Há o Deep South, e há Nova Orleans.

Embora a Big Easy possa não ter o ambiente e o barulho estridente da cidade de Nova York, ela tem sua própria ressonância.

Dos manguezais envoltos em neblina e do musgo espanhol pendente até a explosão colorida da Bourbon Street, Nova Orleans é repleta de cultura, vitalidade e história diferentes de qualquer outro lugar nos Estados Unidos.

Não fiquei totalmente surpreso ao descobrir que Anthony Mackie nasceu e foi criado em Nova Orleans. Ele tem aquela vibe que só vem daqueles que cresceram entre Pascagoula e Lafayette.

Relacionado: Nove mistérios que deveríamos ter conseguido resolver

Nem fiquei surpreso que tubarões (principalmente tubarões-touro) frequentemente façam seu caminho até o poderoso Mississippi. Pescadores pegam tubarões bem ao norte do Golfo do México o tempo todo, incluindo no Lago Pontchartrain.

Mas Anthony Mackie não estava voltando para casa para estudar esse fenômeno bem conhecido. Ultimamente, tubarões têm atacado barcos fretados e pescado na ponta de uma linha — comportamento estranho de predadores perpetuamente cercados por presas.

É uma dinâmica interessante que ameaça a indústria pesqueira no Sul.

Regresso a casa com um propósito

“Voltar para casa” é, na verdade, um termo impróprio. Anthony Mackie é dono de uma casa e atualmente está criando uma família em Nova Orleans. Mas, quando você vive a vida de uma estrela de cinema, a casa é frequentemente o lugar onde você passa menos tempo ao longo do ano.

Ele comprou recentemente 20 acres em Nova Orleans, e não é nenhuma surpresa que ele queira que seu legado, ou pelo menos uma grande parte dele, permaneça na Big Easy. Nova Orleans é um lugar lindo, mas como a maioria dos lugares lindos, ele vem com algumas ressalvas.

Mais de 60% da cidade fica abaixo do nível do mar, o que a torna claramente vulnerável a furacões e grandes tempestades vindas do Golfo. E, claro, há muitas tubarões no Golfo do México.

É aí que entra Shark Beach. Anthony fez mais sentido quando a National Geographic reuniu a ideia por trás desta intrigante documentário.

Relacionado: Nove episódios monumentais de TV que mudaram a TV para sempre

Ele é uma estrela bem conhecida do MCU e intimamente familiarizado com seus antigos territórios. Como a Disney é dona da National Geographic, Mackie faz sentido em todos os níveis.

Melhor ainda, ele é um mergulhador certificado com vasta experiência, não apenas em mergulho, mas também com tubarões.

Mackie não se inscreveu apenas para aprender os porquês e comos dos tubarões roubando peixes da linha e rasgando redes de barcos fretados. Ele também está lá para chamar a atenção para os pântanos em extinção de Nova Orleans, uma área de preocupação já há algum tempo.

Impacto na indústria pesqueira do sul

Shark Beach não demora muito para mergulhar no cerne da questão (trocadilho intencional). Tubarões estão atacando barcos fretados, rasgando as redes e comendo peixes logo na linha antes que pescadores azarados consigam recolher seus peixes.

Não é apenas um comportamento único e local. Mackie viaja até a costa de Juniper, Flórida, para analisar esse crescente roubo de peixes.

De acordo com o National Fisherman, os tubarões estão aprendendo a associar os sons dos motores dos barcos com comida. Parece bem óbvio quando você pensa sobre isso. Tubarões estão longe de ser burros, afinal.

Em Shark Beach, Mackie usa muito o termo “depredação”, e é uma palavra apropriada; significa dano ou destruição, e os pescadores ao longo da Costa do Golfo têm experimentado um aumento significativo na depredação nos últimos dez anos.

Mackie enquadra o problema perfeitamente. Como reduzimos a depredação sem destruir os tubarões? As populações de tubarões estão aumentando, assim como o número de pescadores, então era apenas uma questão de tempo até que as coisas chegassem a um ponto de ruptura.

Por enquanto, os pescadores estão indo para áreas mais afastadas da costa para proteger suas capturas e evitar um tremor repentino (grande concentração de tubarões) que possa atingir suas capturas.

Relacionado: O documentário da série Sopranos levanta a questão:
O drama sobre máfia da HBO foi a série mais influente de todos os tempos?

Um novo ângulo sobre o comportamento dos tubarões

Mackie e uma equipe de biólogos marinhos exploram locais de naufrágios subaquáticos na costa de West Palm Beach, Flórida.

Esses naufrágios atraem uma enorme quantidade de vida marinha como recifes artificiais, tornando-os um ponto quente para pescadores. Grandes melhorias na tecnologia de sonar recreativo criam um ambiente onde os pescadores podem facilmente localizar e pescar esses locais de naufrágio.

Como predadores de topo, os tubarões fazem exatamente o que seus equivalentes terrestres fazem: vão onde quer que a presa esteja.

A única diferença é que os motores dos barcos estão rapidamente se tornando o novo sino do jantar, um sino ao qual os tubarões respondem a quilômetros de distância.

A equipe usa receptores ultrassônicos para rastrear os movimentos dos tubarões ao longo dos recifes subaquáticos, tentando determinar onde os tubarões preferem se reunir ao longo desses recifes e por quê.

Mackie não é o ajudante mais entusiasmado em capturar e manusear fisicamente tubarões-touro, mas não posso culpá-lo. Tubarões-touro estão entre os cinco principais tubarões responsáveis ​​pela maioria dos ataques não provocados a pessoas.

Também aprendemos alguns fatos interessantes, como o estado hipnótico em que os tubarões entram quando virados de cabeça para baixo e o processo de estudo dos hábitos alimentares dos tubarões. Este último do qual Mackie participa, para seu desgosto.

Em última análise, o objetivo é construir novos recifes artificiais que não atraiam tubarões, resultando em recifes para pescadores e recifes para tubarões.

A costa da Louisiana

Nova Orleans é a cidade natal de Mackie, e o furacão Katrina e o futuro do litoral da Louisiana são fatores importantes para os tubarões e para os moradores de Nova Orleans em particular.

Relacionado: 13 atletas profissionais que encontraram grande sucesso como atores

O furacão Katrina, especialmente as inundações resultantes, deixaram uma marca indelével na área.

Por séculos, os pântanos do litoral serviram como um amortecedor natural entre Nova Orleans e tempestades. Afinal, Nova Orleans não está posicionada de forma única para resistir a tempestades massivas.

Foi para isso que os diques foram feitos, que o furacão Katrina atravessou como uma flecha em papel molhado. Infelizmente, a erosão está destruindo lentamente esse buffer e removendo o habitat natural e o mecanismo de proteção para os tubarões-touro.

A última parte de Shark Beach se concentra intensamente nisso, juntamente com estudos sobre o habitat do tubarão-touro, que está em rápida degradação, e esforços de restauração.

À medida que o buffer desaparece, os tubarões-touro se movem mais para dentro, aumentando o número de eventos de depredação. Shark Beach e Mackie amarram um laço elegante em torno do problema da depredação, tanto offshore quanto inshore.

Um pontapé inicial fantástico para a programação do SharkFest da National Geographic

Está se tornando cada vez mais difícil prender a atenção das pessoas atualmente, especialmente em relação a questões como erosão, depredação, inundações históricas e a análise científica do comportamento dos tubarões.

Geografia nacional está bem ciente disso. Trazer Anthony Mackie é um passo na direção certa, usando seu poder de atração para facilitar a atenção em torno de uma questão vital.

Mackie foi a escolha perfeita, e Shark Beach eleva sua voz ao contar a história de um problema atual na indústria pesqueira ao longo da Costa do Golfo.

Relacionado: 21 incríveis aventureiros

Em aproximadamente 45 minutos, Shark Beach tece uma história fascinante sobre a crescente depredação, o interessante passado e a história de Mackie, os tubarões-touro se mudando para áreas de água doce e os problemas de erosão costeira.

Nova Orleans é uma joia histórica, não só do sul, mas de todo o país. Tanta coisa aconteceu na Big Easy ao longo dos séculos. Raramente recebe a atenção que cidades como Nova York, Los Angeles e Chicago recebem.

Shark Beach é um atrativo eficaz, chamando a atenção para questões importantes e dando a Mackie a chance de fazer mais do que representar um super-herói nas telas de cinema.

Thomas Goduíno é um redator da equipe do TV Fanatic. Você pode siga-o no X

Source

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *