• Dom. Jul 14th, 2024

Juiz decide contra o procurador-geral do Texas, Paxton, em campanha contra abrigos para migrantes

Byadmin

Jul 4, 2024

(RNS) — Um juiz do tribunal distrital de El Paso, Texas, decidiu na terça-feira (2 de julho) que o procurador-geral do Texas, Ken Paxton, violou a Quarta Emenda da Constituição dos EUA, que protege contra buscas e apreensões governamentais irracionais, ao atacar a Annunciation House, uma rede de abrigos católicos sem fins lucrativos para migrantes.

“O registro perante este Tribunal deixa claro que o uso do pedido do Procurador-Geral do Texas para examinar documentos da Annunciation House foi um pretexto para justificar o assédio aos funcionários da Annunciation House e às pessoas que buscavam refúgio”, escreveu o juiz Francisco Dominguez.

A Annunciation House, sediada em El Paso, entrou com uma ação e solicitou uma ordem de restrição contra o gabinete do procurador-geral logo após o gabinete visitar a Annunciation House em 7 de fevereiro e exigir documentos da organização sem fins lucrativos, incluindo informações de identificação sobre seus clientes. Em resposta, Paxton entrou com sua própria ação tentando fechar os abrigos.



A Associated Press relatado na terça-feira que Paxton também tem como alvo outras organizações sem fins lucrativos que apoiam migrantes, entrando com uma ação contra a Catholic Charities of the Rio Grande Valley para buscar seu testemunho. A Catholic Charities of the Rio Grande Valley é liderada pela Irmã Norma Pimentel, vencedora de 2018 da Medalha Laetare da Universidade de Notre Dame e uma das mais importantes da revista Time. 100 pessoas mais influentes de 2020.

Em um comunicado à imprensa de 20 de fevereiro anunciando o processo contra a Annunciation House, o gabinete de Paxton disse que havia “revisado informações significativas de registros públicos sugerindo fortemente que a Annunciation House está envolvida em violações legais, como facilitar a entrada ilegal nos Estados Unidos, abrigar estrangeiros, contrabando de pessoas e operar um esconderijo”.

Pais migrantes conversam na Annunciation House, 26 de junho de 2018, em El Paso, Texas. (Foto AP/Matt York)

A estratégia legal de Paxton segue anos de acusações republicanas contra a Catholic Charities. Em 2022, o deputado republicano dos EUA, Lance Gooden, do Texas, enviou uma carta para a sede nacional da Catholic Charities solicitando informações básicas significativas sobre o trabalho da organização sem fins lucrativos com migrantes. “É irresponsável da Catholic Charities alimentar a imigração ilegal ao encorajar, transportar e abrigar estrangeiros para vir, entrar ou residir nos Estados Unidos”, escreveu o congressista.



O gabinete de Paxton não respondeu a um e-mail do Religion News Service perguntando se a decisão no caso da Annunciation House afetaria a estratégia jurídica do procurador-geral em relação à Catholic Charities of the Rio Grande Valley.

A primeira decisão de Dominguez permite que a Annunciation House peça ao tribunal para revisar quaisquer outras intimações de Paxton.

Em uma segunda decisão, Dominguez negou a tentativa de Paxton de fechar a Annunciation House e escreveu que a estratégia legal do procurador-geral “viola a Lei de Restauração da Liberdade Religiosa do Texas ao sobrecarregar substancialmente o livre exercício da religião na Annunciation House e ao não usar os ‘meios menos restritivos’ para garantir o cumprimento da lei”.

O bispo de El Paso, Mark Seitz, repetidamente chamou a atenção para o caso como uma violação da liberdade religiosa. Na sequência da decisão, Seitz chamou a decisão de “um momento importante para a liberdade religiosa e um reconhecimento do papel importante que as comunidades religiosas desempenham em ajudar nossa nação a liderar com compaixão e humanidade no enfrentamento dos desafios da migração na fronteira”.

ARQUIVO - Ruben Garcia, fundador e diretor da Annunciation House, uma rede de abrigos para migrantes em El Paso, Texas, fala durante uma entrevista coletiva acompanhado pelo bispo Mark Seitz, sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024. Autoridades do governo estariam infringindo a liberdade religiosa se restringissem o trabalho da Igreja Católica atendendo migrantes ao longo da fronteira EUA-México, diz um importante bispo dos EUA. (AP Photo/Andres Leighton, Arquivo)

Ruben Garcia, fundador e diretor da Annunciation House, uma rede de abrigos para migrantes em El Paso, Texas, fala durante uma entrevista coletiva acompanhado pelo bispo Mark Seitz, em 23 de fevereiro de 2024. Autoridades do governo estariam infringindo a liberdade religiosa se restringissem o trabalho da Igreja Católica atendendo migrantes ao longo da fronteira EUA-México, diz um importante bispo dos EUA. (AP Photo/Andres Leighton, Arquivo)

“Estamos ansiosos para continuar trabalhando com nossos parceiros federais e estaduais na identificação de soluções para nosso sistema falido de imigração, trabalhando pela reforma e abordando a crescente crise humanitária de mortes na fronteira”, escreveu Seitz.

Dominguez, um democrata eleito, escreveu que Paxton, um republicano, é “o principal agente da lei no estado do Texas” e, como tal, “tem o dever de defender todas as leis, não apenas interpretar seletivamente ou usar indevidamente aquelas que podem ser manipuladas para promover suas próprias crenças pessoais ou agenda política”.

Dylan Corbett, diretor executivo do Hope Border Institute, uma organização católica que apoia migrantes na área de fronteira ao redor de El Paso e Ciudad Juárez, escreveu no X (antigo Twitter): “Quando Paxton atacou a Annunciation House, ele atacou uma comunidade resiliente e forte da fronteira de El Paso, a liberdade religiosa e a ajuda humanitária.”

Paxton “pode apelar, mas, no final das contas, ele está do lado perdedor da fé, do amor e da compaixão”, escreveu Corbett.

Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *