• Dom. Jul 14th, 2024

Rishi Sunak 2.0 ou o retorno do Partido Trabalhista? Votos do Reino Unido em pesquisas históricas hoje

Rishi Sunak e o líder da oposição Keir Starmer entram em confronto no debate eleitoral

Pesquisas preveem, por ampla maioria, que o Partido Trabalhista vencerá sua primeira eleição geral desde 2005.

Londres:

Os líderes políticos britânicos fizeram uma última e frenética tentativa de obter votos na quarta-feira, último dia de uma campanha eleitoral que deve resultar em um governo trabalhista após 14 anos de governo conservador.

O primeiro-ministro Rishi Sunak insistiu que ainda estava “lutando arduamente”, apesar de um de seus aliados mais próximos ter admitido que os conservadores estavam caminhando para uma derrota “extraordinária e esmagadora” na quinta-feira.

Os conservadores sofreram um novo golpe na última hora, quando o tabloide The Sun, famoso por apoiar vencedores de eleições, apoiou o Partido Trabalhista de Keir Starmer.

As pesquisas preveem, por ampla maioria, que o Partido Trabalhista vencerá sua primeira eleição geral desde 2005, tornando Starmer o primeiro primeiro-ministro do partido desde que Gordon Brown deixou o cargo em 2010.

Esse resultado faria a Grã-Bretanha pender para a esquerda, de volta ao centro, após quase uma década e meia de governos conservadores de direita, dominados primeiro pela austeridade, depois pelo Brexit e uma crise de custo de vida.

Starmer, 61, viajou pelo Reino Unido em uma tentativa de reforçar o apoio trabalhista e alertar contra a complacência nas horas finais da campanha.

“Se você quer mudança, você tem que votar nela”, ele disse a repórteres em um evento em Carmarthenshire, no sul do País de Gales, onde os apoiadores distribuíram bolos com fitas vermelhas, a cor associada ao partido.

“Não estou tomando nada por garantido”, acrescentou, antes de voar para a Escócia no mesmo avião que levou a seleção inglesa de futebol para o Campeonato Europeu na Alemanha.

Sunak, 44, tentou reforçar seus alertas frequentemente repetidos de que um governo trabalhista significaria aumento de impostos e segurança nacional mais fraca — piadas que o Partido Trabalhista rotulou como uma tentativa desesperada de se agarrar ao poder.

Os conservadores também intensificaram seus alertas aos eleitores para que parem com a possibilidade de o Partido Trabalhista obter uma “supermaioria”, o que os trabalhistas temem que tenha a intenção de prejudicar a participação eleitoral.

O aliado de Sunak, Mel Stride, secretário de trabalho e pensões, disse na quarta-feira que o eleitorado “se arrependeria” de entregar o poder “irrestrito” ao Partido Trabalhista sem uma oposição conservadora eficaz.

– Maior que Blair? –

“Se você olhar as pesquisas, fica bem claro que o Partido Trabalhista, neste momento, está caminhando para uma vitória esmagadora extraordinária, em uma escala que provavelmente nunca foi vista neste país antes”, disse ele à emissora de direita GB News.

Mas o ex-primeiro-ministro Boris Johnson — deposto por seus próprios colegas, incluindo Sunak, em 2022 — fez sua primeira grande intervenção da campanha na terça-feira, pedindo aos apoiadores que não vissem o resultado como uma “conclusão precipitada”.

O Partido Trabalhista tem desfrutado de uma liderança consistente de 20 pontos nas pesquisas nos últimos dois anos, com muitos eleitores insatisfeitos com a forma como os Conservadores lidam com uma série de questões, incluindo serviços públicos, imigração e economia.

Várias pesquisas preveem que o Partido Trabalhista conquistará mais do que o recorde de 418 cadeiras conquistadas quando Tony Blair encerrou 18 anos de governo conservador em 1997.

O Partido Trabalhista precisa de pelo menos 326 assentos para garantir a maioria no parlamento de 650 assentos.

Os eleitores vão às urnas a partir das 7h00 (06h00 GMT), e os resultados devem começar a sair por volta das 22h30 GMT na quinta-feira à manhã de sexta-feira.

A votação é a primeira eleição de julho na Grã-Bretanha desde 1945, quando o Partido Trabalhista, liderado por Clement Attlee, derrotou os Conservadores do líder da Segunda Guerra Mundial, Winston Churchill, inaugurando um período de mudanças sociais transformadoras.

O governo de Attlee criou o moderno estado de bem-estar social, incluindo o Serviço Nacional de Saúde (NHS), administrado pelo estado, a instituição mais querida da Grã-Bretanha depois da família real.

– Bandeja de entrada –

A agenda de “mudança” de Starmer não é tão radical desta vez e promete uma gestão cautelosa da economia, como parte de um plano de crescimento de longo prazo que inclui a recuperação dos serviços públicos debilitados.

Um governo trabalhista enfrentaria uma lista enorme de tarefas, que incluiria desde estimular o crescimento anêmico até acabar com as greves do NHS e melhorar os laços pós-Brexit com a Europa.

Alguns eleitores simplesmente desejam uma pausa na política após um período caótico de cinco primeiros-ministros, uma sucessão de escândalos e disputas internas entre centristas e direitistas que não mostram sinais de diminuição.

O Sun chamou os conservadores de “ralé dividida, mais interessada em lutar entre si do que em governar o país”, acrescentando: “É hora de uma mudança”.

Starmer — filho de um fabricante de ferramentas e de uma enfermeira, da classe trabalhadora — não tem nada do carisma político ou da popularidade do ex-líder Blair, que presidiu a última vitória trabalhista em 2005.

Mas o ex-advogado de direitos humanos e promotor público chefe tem muito a ganhar com um país farto dos conservadores e um sentimento de declínio nacional.

O supereurocético Nigel Farage espera que o descontentamento o leve a ser eleito deputado na oitava tentativa, enquanto os democratas liberais devem ganhar dezenas de assentos.

(Com exceção do título, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Source

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *