• Qui. Jul 18th, 2024

Nova espécie de piranha descoberta na Bolívia

Byadmin

Jul 5, 2024
Fotografia ao vivo do holótipo de Serrasalmus magallanesi, sub-bacia do rio Beni

Fotografia viva do Holótipo de Serrasalmus magallanesi, sub-bacia do Rio Beni, bacia Amazônica / Autor: Fernando M. Carvajal-Vallejos

Uma equipe de biólogos, com a participação da Universidad Autónoma de Madrid (UAM), descobriu uma nova espécie de piranha no sistema do alto rio Madeira, na Bolívia. A recém-identificada Serrasalmus magallanesi acrescenta um novo elo à rica biodiversidade da bacia amazônica. Essa descoberta ressalta a importância de continuar a pesquisa sobre a ictiofauna da região para sua conservação adequada.

Espécies dos gêneros Serrasalmo, Pygocentrus e Pygopristis são comumente conhecidas como piranhas ou palometas nas regiões do sistema do alto rio Madeira na Bolívia. Como em muitas outras regiões da América do Sul, essas piranhas são predadoras que se alimentam principalmente de peixes, pequenos invertebrados e até mesmo materiais vegetais, como frutas e sementes.

A taxonomia de Serrasalmo espécies na Bolívia é pouco conhecida. Existem poucos estudos que se concentram na identificação dessas espécies por meio da morfologia externa ou informação genética. A identificação morfológica das espécies do gênero Serrasalmotanto em campo quanto em museus, representa um desafio para ictiólogos e ecólogos aquáticos devido a fatores como a diferença na ontogenia dessas espécies e variação morfológica dentro da mesma espécie. Portanto, estudos que integrem técnicas morfológicas e genéticas são necessários para caracterizar e diagnosticar adequadamente as espécies desse gênero.

Revisões recentes de material de coleções ictiológicas na Bolívia evidenciaram a presença de uma nova espécie de piranha do gênero Serrasalmo no sistema do alto rio Madeira. Esta espécie foi erroneamente identificada como Serrasalmus Holandês devido à semelhança na mancha na base da nadadeira caudal em coleções bolivianas. No entanto, S. holandês tem um focinho curto e robusto e uma mancha umeral óbvia, enquanto a nova espécie tem um focinho alongado e a mancha umeral é difusa ou ausente.

Para confirmar a existência desta nova espécie, foram recolhidos 159 indivíduos das oito espécies conhecidas e das possíveis novas espécies de Serrasalmo presentes na Bolívia foram analisadas. Foram realizadas trinta e três medições morfológicas, 17 contagens morfológicas (contagens de escamas, raios das nadadeiras e dentes) e a análise de 10 variáveis ​​de coloração. Muitas dessas variáveis ​​foram analisadas em estudos anteriores sobre espécies do gênero Serrasalmo. Além disso, foram tiradas radiografias para contagem de estruturas osteológicas (vértebras, costelas e raios das nadadeiras) e para medição de alguns ossos. Descrições e trabalhos originais relacionados às 24 espécies do gênero Serrasalmo não relatados na Bolívia também foram revisados ​​para determinar diagnósticos comparativos.

O estudo incluiu análises genéticas baseadas no gene mitocondrial COI (Cytochrome Oxidase I). Sequências de espécies bolivianas foram obtidas do Canadian Center of Barcoding (Guelph, Canadá) e depositadas no Barcode of Life Data Systems ( BOLD ), enquanto sequências complementares de outras espécies foram obtidas do GenBank. As análises genéticas foram realizadas usando os programas MEGA 11 e PhyML.

Serrasalmus magallanesi: uma nova espécie

Serrasalmus magallanesi sp. nov. difere do resto por uma combinação única de características: corpo prateado em vida, nadadeira anal com uma mancha marcante em forma de crescente na base, nadadeira anal vermelho-escura com uma faixa escura na borda. Pode atingir 20 cm de comprimento e tem um focinho alongado e uma mancha umeral difusa ou ausente. Uma vez preservada em álcool, a coloração vermelha da nadadeira anal e a coloração prateada do corpo desaparecem.

Radiografia holótipo de Serrasalmus magallanesi, sub-bacia do rio Beni, bacia amazônica.

A nova espécie foi descrita por um grupo de biólogos bolivianos da Unidade de Limnologia e Recursos Aquáticos (ULRA) da Universidad Mayor de San Simón (Cochabamba, Bolívia). A localidade tipo desta espécie é: Laguna 27 de Mayo, sub-bacia do Rio Beni, Departamento de Beni, alto Rio Madeira, bacia amazônica, Bolívia.

A descoberta de Serrasalmus magallanesi é a nona espécie de piranha registrada na Bolívia e a 32ª na América do Sul. Esta descoberta destaca a necessidade de continuar as pesquisas sobre a ictiofauna da bacia amazônica, tanto para descobrir novas espécies quanto para conservá-las, pois representam um importante patrimônio natural do planeta.

Referência bibliográfica:

Gallo-Cardozo, F.; Maldonado, M.; Careaga, M.; Carvajal-Vallejos, F. M. (2024). A New Species of Piranha (Serrasalmus, Serrasalmidae) from the Upper Madeira River System, Amazon Basin, Bolivia. Revista de Ictiologia1-24. Português https://doi.org/10.1134/S0032945224700036. https://doi.org/10.1134/S0032945224700036

Mais cultura científica em Diário UAM

Source

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *