• Qua. Jul 17th, 2024

Para George Stephanopoulos, 22 minutos de investigação pessoal.

Byadmin

Jul 6, 2024

No final, foi uma entrevista tão pessoal quanto política, um interrogatório mais focado na psique e na realidade inescapável do envelhecimento do que em quaisquer pontos de política ou governança.

Respeitosamente, mas com firmeza, o âncora da ABC, George Stephanopoulos, pressionou o presidente Biden, repetidamente, na sexta-feira sobre as perguntas básicas que os americanos se fizeram nos últimos oito dias, desde que 51 milhões de pessoas viram o Sr. Biden diminuir sua luta para se apresentar no palco do debate.

“Você está mais frágil?”

“Houve mais lapsos?”

“Você já foi examinado por um neurologista, um especialista?”

E enquanto o Sr. Biden descartava todas essas preocupações uma por uma — ignorando as preocupações crescentes sobre sua saúde, sua elegibilidade, sua capacidade de servir em seu cargo por mais quatro anos — o Sr. Stephanopoulos se concentrou nas questões de orgulho, dignidade e autoestima que estavam por baixo da superfície.

“Você tem certeza”, perguntou o âncora, “de que está sendo honesto consigo mesmo?”

Aos 81 anos, o Sr. Biden é 18 anos mais velho que seu interlocutor. O presidente chegou à entrevista da ABC na sexta-feira bronzeado e sem gravata, com os dois botões superiores da camisa desabotoados, fazendo todos os esforços para projetar juventude e vitalidade. No entanto, um espectador não conseguia deixar de imaginar o Sr. Stephanopoulos de cabelos desgrenhados no papel de um filho adulto, guiando um pai idoso em direção a uma conclusão que pode ser difícil e profundamente dolorosa de aceitar.

É muito cedo para dizer se o encontro de 22 minutos na sexta-feira, gravado na biblioteca de uma escola de ensino fundamental de Wisconsin e transmitido pela ABC no horário nobre, contará entre as entrevistas mais importantes da história presidencial. Mas ele carregou alguns dos maiores riscos.

A confiança dos democratas na capacidade do Sr. Biden de derrotar seu oponente republicano, o ex-presidente Donald J. Trump, despencou após o debate da semana passada. A voz suave do presidente, pausas prolongadas e palavras arrastadas — antes vistas pelos apoiadores como um fato perturbador, embora benigno, de suas aparições públicas — assumiram implicações muito mais sombrias.

O Sr. Biden demonstrou muitas dessas características novamente na sexta-feira, sua voz ficando rouca e hesitante às vezes. Suas respostas ocasionalmente divagavam. Ele estava muito melhor do que o presidente instável que estava diante do Sr. Trump na quinta-feira passada, mas também não estava na forma de luta de seus debates de 2020.

Quando o Sr. Stephanopoulos foi direto ao ponto — “Você e sua equipe disseram que tiveram uma noite ruim” — o Sr. Biden mostrou os dentes em um sorriso.

“Claro que sim”, ele respondeu, com partes iguais de humildade e indiferença. Ei. Acontece.

Mas então o âncora começou a pressionar. Nancy Pelosi, ex-presidente da Câmara e aliada do presidente, se perguntou se o Sr. Biden tinha problemas de saúde mais sérios. O Sr. Biden culpou o jet lag, mas ele estava de volta da Europa há mais de uma semana. Ele percebeu, no palco, o quão mal ele estava?

O presidente, que interagiu com o Sr. Stephanopoulos por décadas, incluindo quando o âncora serviu na Casa Branca de Clinton, tentou desviar com algum humor. “Você teve algumas entrevistas ruins de vez em quando”, ele provocou.

“Já tive bastante”, respondeu o Sr. Stephanopoulos. Mas, ele ressaltou, milhões de pessoas assistiram a um debate que pareceu confirmar os temores sobre a idade do presidente.

Quando o Sr. Biden culpou a imprensa por amplificar as preocupações dos líderes democratas, o âncora disse que ouviu de dezenas de apoiadores que “querem que você vá com elegância”. E quando o Sr. Biden tentou desviar a atenção, citando as conquistas de sua administração, o Sr. Stephanopoulos rebateu: “Quanto todo esse trabalho nos últimos três anos e meio lhe custou física, mental e emocionalmente?”

À medida que a entrevista se aproximava do fim, o Sr. Stephanopoulos voltou à realpolitik. “Se você ficar, e Trump for eleito, e tudo o que você está alertando acontecer”, ele perguntou, “como você se sentirá em janeiro?”

“Sinto que, desde que eu tenha dado o meu melhor e feito o melhor trabalho que sei que posso fazer, é disso que se trata”, disse Biden.

Em um ponto, o Sr. Stephanopoulos apresentou uma série de cenários ao Sr. Biden, sobre como ele reagiria se os principais líderes democratas pedissem que ele se retirasse. O presidente sorriu e riu.

“Quero dizer, essas hipóteses, George”, ele começou.

O âncora interrompeu.

“Não é mais tão hipotético.”

Source link

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *