• Qui. Fev 29th, 2024

mês de agosto foi o quinto mais quente em Portugal com seca a atingir 97% do país – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 8, 2023

O mês de agosto foi o quinto mais quente em Portugal continental desde 1931, tendo-se verificado duas ondas de calor e um aumento da situação de seca ao atingir 97% do território, revelou o IPMA nesta sexta-feira.

O boletim climático do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informa que o mês de agosto em Portugal continental se classificou como extremamente quente em relação à temperatura do ar e seco em relação à precipitação, tendo sido o quinto mais quente desde 1931, depois de 2003, 2018, 1949 e 2010.

Segundo o IPMA, durante o mês foram ultrapassados os máximos de agosto da temperatura máxima em 20 estações, tendo sido ultrapassados os máximos históricos em sete estações, e verificou-se a ocorrência de duas ondas de calor que abrangeu as regiões do Vale do Tejo, interior Norte e Centro e região Sul.

O boletim destaca os dias 6 e 7, 22 e 23 com valores muito elevados da temperatura máxima e mínima do ar, registando-se a 22 e 23, respetivamente, o quinto e sextos dias mais quentes dos últimos 15 anos em Portugal continental. O IPMA indica também que, durante o mês de agosto, não ocorreu precipitação em grande parte do território, exceto na região do Minho, em particular nos dias 18 e 19, com valores diários superiores a 40 milímetros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O documento salienta igualmente a diminuição dos valores de percentagem de água no solo em todo o território, sendo mais significativo nas regiões do Vale do Tejo, Alentejo e Algarve. De acordo com o IPMA, estas regiões têm valores de percentagem de água no solo inferiores a 10%, sendo que em muitos locais “o teor de água no solo está ao nível do ponto de emurchecimento permanente”.

Seca atinge 97% de Portugal. 34% do país está no nível severo e extremo, especialmente no Alentejo e Algarve

O boletim frisa igualmente que, no fim do mês de agosto, se verificou um aumento da intensidade da seca meteorológica em quase todo o território do continente, destacando-se os distritos de Setúbal, Évora, Beja e Faro com um aumento da área em seca extrema. Segundo o documento, a 31 de agosto 97% do território estava em seca meteorológica, dos quais 46% nas classes de seca severa e extrema.

O IPMA dá ainda conta da situação meteorológica a nível global, referindo que “o mês de agosto de 2023 foi o mais quente já registado e o mais quente do que todos os outros meses, com exceção de julho de 2023″, tendo ocorrido ondas de calor em várias regiões do Hemisfério Norte, incluindo o sul da Europa, o sul dos Estados Unidos e o Japão.

“Verificaram-se temperaturas do ar acima da média climatológica na maior parte da Europa, desatacando-se o sul da Europa com ocorrência de ondas de calor em Portugal, França e Itália. Milão registou a sua temperatura média diária mais quente desde 1763. O calor no sul da Europa estendeu-se até ao Norte de África/Magrebe, com Marrocos a registar uma temperatura superior a 50.4°C pela primeira vez”, escreve o IPMA.

O documento refere que a Turquia, Europa Oriental e uma área sobre o Mar de Kara estiveram também com temperaturas muito acima da média, enquanto uma área centrada no sul da Escandinávia, incluindo os Países Baixos e o sul do Reino Unido, registou temperaturas próximas ou abaixo da média.

Em relação à precipitação na Europa, o IPMA indica que se verificaram condições mais húmidas do que a média numa grande parte da Europa Central e da Escandinávia, com ocorrência de chuvas fortes que levaram a inundações, mas, por outro lado, registaram-se condições mais secas que a média na Península Ibérica, no sul de França, na Islândia e em grande parte da Europa Oriental, incluindo o sul dos Balcãs.

O IPMA destaca ainda a ocorrência em agosto de incêndios florestais na França, Grécia, Itália e Portugal.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *