• Qui. Fev 22nd, 2024

Vice-presidente espanhola agradece a Portugal apoio à candidatura ao BEI – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 15, 2023

A vice-presidente espanhola e ministra para os Assuntos Económicos, Nadia Calviño, agradeceu esta sexta-feira o “apoio decidido” de Portugal à sua candidatura ao Banco Europeu de Investimento (BEI), contra Margrethe Vestager, destacando o alinhamento ibérico face às instituições europeias.

“Só posso agradecer o apoio decidido que o Governo português deu à minha candidatura ao BEI, que reflete o nosso alinhamento absoluto de postura dos dois governos em matérias europeias”, declarou Nadia Calviño, falando à entrada para uma reunião informal dos ministros europeus das Finanças, na cidade espanhola de Santiago de Compostela.

Portugal vai apoiar vice-presidente espanhola à liderança do Banco Europeu de Investimento

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quando questionada pela Lusa sobre este apoio português, a responsável observou: “Felizmente, desde o primeiro momento, contámos com o apoio decidido do nosso país irmão, como não podia deixar de ser.”

“Partilhamos um lugar [na vice-presidência rotativa] no BEI e a nossa posição relativamente às instituições europeias está a 100% alinhada com o nosso país vizinho, país […] ainda mais vizinho estando aqui na Galiza”, acrescentou. O Governo português vai apoiar Nadia Calviño na corrida à liderança do BEI, avançou à Lusa na quinta-feira fonte ligada ao processo.

A mesma fonte indicou esta sexta-feira à Lusa que Portugal, na sequência de conversações ocorridas nos últimos meses, irá apoiar Nadia Calviño por considerar que esta candidata “é a mais qualificada” para assumir o cargo.

Ministros do euro insistem em prudência orçamental após nova subida de taxas de juro

Nadia Calviño é, juntamente com a vice-presidente executiva da Comissão Europeia responsável pela pasta da concorrência, Margrethe Vestager, uma das principais candidatas à liderança do BEI.

Aos seus nomes juntam-se os do ex-ministro italiano Daniele Franco, da antiga ministra polaca e vice-presidente do BEI Teresa Czerwinska, e do antigo ministro da Energia da Suécia e também atual vice-presidente da instituição Thomas Ostros. No início de setembro, Margrethe Vestager anunciou que iria tirar uma licença sem vencimento para se concentrar na candidatura.

Este que é considerado um dos lugares de topo nas instituições da União Europeia (UE) atrai, desta vez, o interesse de vários altos funcionários europeus, depois de ter sido liderado durante 12 anos pelo alemão Werner Hoyer, que cumpriu dois mandatos de seis anos e está agora de saída.

“É preocupante.” Marcelo diz que aumento das taxas de juros favorece forças políticas “mais radicais” e “populistas”

Outra fonte comunitária salientou à Lusa o “interesse renovado” na liderança do BEI, que também reflete “uma nova página” da maior instituição financeira multilateral do mundo em termos de ativos e que será crucial para apoiar a UE nas suas metas “verdes” e digitais.

As posições surgem quando os ministros das Finanças da UE se juntam, esta sexta-feira e no sábado, em Santiago de Compostela, para uma reunião informal, à margem da qual será discutida a liderança do BEI.

Porém, segundo as fontes ouvidas pela Lusa, não se espera para já um consenso em torno de um nome entre os cinco candidatos, o que será mais provável de acontecer na reunião ordinária dos responsáveis pela tutela das Finanças de outubro.

A decisão é tomada pelo Conselho de Governadores do BEI, constituído pelos ministros das Finanças de todos os países da UE. O atual presidente do banco, Werner Hoyer, deixa o cargo no final do ano, pelo que os governantes têm até então de nomear um sucessor.

BCE sobe juros (com o voto contra de Centeno). Taxas podem não subir mais, mas tão cedo não irão baixar



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *