• Dom. Mai 26th, 2024

Fã da F1 de 1976? Veja como é conduzir o Tyrrell P34 – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 24, 2023


O final dos anos 70 figura entre os mais animados da F1. Foi neste período que surgiram modelos como o Lotus 78, o primeiro com efeito solo e saias laterais, o Brabham BT46B, o “carro ventoinha”, igualmente com o efeito solo, mas conseguido à custa de um enorme aspirador, e o Tyrrell P34, o único carro com seis rodas a vencer corridas. O Lotus 78 alcançou o maior conjunto de sucessos, com sete vitórias e dois títulos de Campeão do Mundo (em 1978, para pilotos e equipas), uma vez que tanto o Brabham e o Tyrrell arrecadaram apenas uma vitória cada, mas as seis rodas do P34 foram provavelmente as que causaram o maior impacto, até porque mudaram o aspecto dos F1.

Não é fácil encontrar um Tyrrell P34 em condições de ser conduzido e muito menos em pista, num ritmo dinâmico, mas o popular Stig, que durante anos levou aos limites no programa Top Gear uma série de veículos, de série e de competição, lá conseguiu encontrar um excelente exemplar, bem como um proprietário suficientemente crédulo (ou louco) para lho confiar. A personagem The Stig foi desempenhada por um conjunto de antigos pilotos britânicos nas várias edições do programa de TV, um dos quais foi Ben Collins, que aqui ensaia o Tyrrell P34.

O Tyrrell P34 foi desenhado no final de 1975 para estar pronto para o arranque da época seguinte, aproveitando as alterações do regulamento de 76. A limitação da asa dianteira a 1,5 metros levou Derek Gardner, o projectista da Tyrrell, a imaginar um fórmula em que a via anterior fosse mais estreita, para que os pneus de menor diâmetro conseguissem continuar a ser abrigados por ela. Com esta solução, o P34 ganhou uma frente mais estreita e uns pneus anteriores de diâmetro muito inferior (em jantes de 10” como os primeiros Mini), o que o tornou mais aerodinâmico, assegurando um ganho de 10 km/h nas rectas. Paralelamente, o facto de usar quatro rodas de menor diâmetro, em vez de apenas duas maiores e mais largas, aumentava a área de contacto da borracha com o asfalto à frente em 40%, o que permitia igualmente travar mais tarde.

O P34 foi conduzido com maior sucesso por Jody Schekter e Patrick Depailler, que se destacaram ao alcançar as duas primeiras posições no Grande Prémio da Suécia de 1976, mas depois do campeonato de 1977 e quando os seus adversários já estavam a tentar encontrar a melhor forma de copiar a solução da Tyrrell, a regulamentação foi alterada, de forma a impedir as seis rodas. Veja em baixo a opinião de Stig sobre o P34, bem como a análise que faz sobre o comportamento do carro:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *