• Qui. Mai 30th, 2024

Terroristas deixam Macomia e população começa a regressar – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Mai 11, 2024

A população da vila de Macomia, na província moçambicana de Cabo Delgado, começou esta tarde a regressar às suas casas, após relatos da saída do grupo de terroristas que ocupava a localidade, disseram à Lusa fontes da comunidade.

Segundo as fontes, os insurgentes abandonaram a vila sede de Macomia, que ocupavam desde a madrugada de sexta-feira, por volta das 14:00 (13:00 em Lisboa) deste sábado, em direção ao posto administrativo de Mucojo, motivando o regresso dos residentes.

“Assim que estou a falar estamos a caminho de casa, ouvimos que os rebeldes saíram e foram em direção à vila de Mucojo”, relatou um popular, que nas últimas 24 horas esteve num esconderijo, nas matas.

A fonte disse não saber se foram destruídas casas durante a incursão dos insurgentes, mas confirmou a vandalização de lojas e a posterior retirada dos produtos alimentares que foram distribuídos à população.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Ministério da Defesa Nacional confirmou na sexta-feira um “ataque terrorista”, durante a madrugada, à vila de Macomia, garantindo que um dos líderes do grupo foi ferido pelas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e outro morto.

“O ataque durou cerca de 45 minutos e os terroristas foram prontamente repelidos pela ação coordenada das nossas forças, que obrigaram o inimigo a recuar, em direção ao interior do posto administrativo de Mucojo”, lê-se num comunicado do Ministério da Defesa Nacional.

Acrescenta que o ataque aconteceu cerca das 04:45 locais (03:45 em Lisboa) e que, no “confronto”, as FADM “capturaram um terrorista e feriram um dos líderes, conhecido por ‘Issa’, que conseguiu escapar, não havendo registo de óbitos ou feridos por parte das Forças Armadas”.

“Posteriormente, o terrorista capturado veio a perder a vida por ferimentos graves”, lê-se.

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, já tinha confirmado, ao final da manhã de sexta-feira, este ataque à sede distrital de Macomia, explicando que aconteceu numa zona antes controlada pelos militares da missão dos países da África austral, que está em progressiva retirada até julho.

“É verdade que é uma zona ocupada pelos nossos irmãos que nos apoiam, em retirada. Mas os que estão no terreno são 100% os moçambicanos. Talvez possa haver um reforço (…). Como estão de saída. Espero que consigamos nos organizar melhor, porque o tempo de transição dá isso”, reconheceu, enaltecendo a intervenção em curso dos militares moçambicanos.

Os tiroteios na sede distrital começaram durante a madrugada, com os rebeldes a aparecerem no centro da vila, vindos da estrada de Mucojo, relataram fontes locais ao início da manhã de sexta-feira, à Lusa.

Indicaram igualmente que a vila sede distrital de Macomia estava tomada por mais de uma centena de insurgentes.

A vila de Macomia situa-se na estrada Nacional 1 (N1), que faz a ligação aos distritos mais ao norte, casos de Muidumbe, Nangade, Mueda, Mocímboa da Praia e Palma, pelo que este ataque interrompe igualmente a comunicação por terra aos cinco distritos.

A província enfrenta desde outubro de 2017 uma rebelião armada com ataques reclamados por movimentos associados ao grupo extremista Estado Islâmico.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *