• Sáb. Jun 15th, 2024

Albuquerque entrega na terça-feira composição do novo Governo Regional – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Jun 1, 2024

O presidente do Governo Regional da Madeira, o social-democrata Miguel Albuquerque, entrega na terça-feira a composição do executivo ao representante da República, anunciou esta sexta-feira o gabinete de Ireneu Barreto.

Segundo uma nota divulgada pelo gabinete do representante da República, Miguel Albuquerque, que foi indigitado na quarta-feira para formar o XV Governo Regional, vai ser recebido no Palácio de São Lourenço, no Funchal, pelas 16h00.

Albuquerque indigitado presidente do executivo e confiante no cumprimento da legislatura

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Esta audiência tem como finalidade a entrega formal da composição do XV Governo Regional da Madeira“, lê-se na nota.

Na quarta-feira, depois de ter sido indigitado, Miguel Albuquerque disse pretender apresentar a composição do executivo ao representante da República “na segunda-feira, às cinco horas, e depois tomar posse na quinta”, referindo-se aos dias 3 e 6 de junho.

O PSD/Madeira, que nas eleições regionais antecipadas de 26 de maio foi o partido mais votado, elegeu 19 deputados num universo de 47, falhando mais uma vez a maioria absoluta (exige 24 eleitos).

Posteriormente, os sociais-democratas celebraram um acordo parlamentar com o CDS-PP, que garantiu dois lugares no parlamento madeirense.

O PS manteve o grupo parlamentar com 11 lugares, enquanto o JPP aumentou a bancada de cinco para nove elementos. O Chega continua a ocupar quatro assentos, tendo a IL e o PAN reeleito os seus deputados únicos.

No dia em que foi indigitado, Miguel Albuquerque considerou estarem reunidas condições para haver estabilidade e ser cumprida a legislatura de quatro anos.

“Tenho a garantia de que, neste momento, os partidos são responsáveis”, disse, salientando que “o governo tem um programa para apresentar e um orçamento para aprovar até ao fim de julho e essa é uma necessidade imperativa da região”.

Miguel Albuquerque, que lidera o executivo regional desde 2015, estava em gestão desde fevereiro, devido ao processo que investiga suspeitas de corrupção no arquipélago.

Salientando que não faz “governos provisórios”, o também líder do PSD/Madeira já admitiu que sem maioria absoluta, é fundamental que o executivo “tenha uma postura de maior diálogo, uma postura de maior incidência parlamentar, maior auscultação parlamentar”.

O governante também manifestou abertura para incorporar propostas da oposição, desde que sejam válidas e sustentáveis.

“Não podemos entrar num clima de ‘bacalhau a pataco’, como se costuma dizer, para causar roturas orçamentais”, alertou.

Relativamente à sua condição de arguido no processo que investiga suspeitas de corrupção na Madeira, Miguel Albuquerque considerou que não terá impacto no novo executivo.

Apesar de na segunda-feira PS e JPP terem anunciado um entendimento para criar uma alternativa governativa, o representante da República decidiu, depois de ouvir os sete partidos com assento parlamentar, indigitar o social-democrata para formar governo.

PS e JPP: um acordo não assinado e uma ‘geringonça’ minoritária que deixa Albuquerque em vantagem

As eleições antecipadas na Madeira ocorreram oito meses após as anteriores legislativas regionais, depois de o Presidente da República ter dissolvido o parlamento madeirense, na sequência da crise política desencadeada em janeiro, quando Albuquerque foi constituído arguido.

O novo parlamento vai tomar posse na quarta-feira. Apesar de este ser o XV Governo Regional, terá início a XIV Legislatura, já que a primeira teve dois executivos.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *