• Sáb. Jun 15th, 2024

A ex-namorada de Hunter Biden detalha seu vício em crack no julgamento

Byadmin

Jun 6, 2024

Os jurados foram informados de que Biden passaria dias em quartos de hotel se drogando nos meses que antecederam a compra da arma em 2018.

A ex-namorada de Hunter Biden testemunhou sobre seu uso quase constante de crack em hotéis de luxo no julgamento criminal onde os promotores tentam provar que o filho do presidente dos EUA, Joe Biden, mentiu sobre seu vício em comprar ilegalmente uma arma.

Zoe Kestan disse aos jurados que Hunter Biden prepararia crack no chique Chateau Marmont em Los Angeles ou passaria dias em quartos de hotel se drogando nos meses que antecederam a compra de sua arma em 2018.

“Ele iria querer fumar assim que acordasse”, disse Kestan ao tribunal na quarta-feira, ao descrever encontros com um traficante de drogas “assustador” e a busca por instruções na internet para transformar cocaína em pó em crack.

Kestan testemunhou no primeiro julgamento do filho de um presidente dos EUA, onde os promotores estão tentando provar que Hunter Biden mentiu conscientemente sobre seu uso de drogas na papelada de triagem quando comprou um revólver em outubro de 2018.

Kathleen Buhle, que se divorciou de Hunter Biden em 2017, também testemunhou por cerca de 20 minutos para descrever como descobriu pela primeira vez que ele usava drogas.

Os promotores também disseram que planejam ligar para Hallie Biden, a viúva do falecido irmão de Hunter, Beau.

Hunter Biden, 54, se declarou inocente de três acusações criminais que o acusaram de não revelar o uso de drogas ilegais quando comprou a arma e de possuí-la ilegalmente por 11 dias.

Biden reconheceu publicamente seu uso de drogas no passado, inclusive em suas memórias. Ele disse ao juiz do caso em uma audiência de 2023 que estava limpo desde 2019.

Defesa diz que não há intenção de enganar

O advogado de defesa, Abbe Lowell, rebateu que Hunter Biden não usava drogas no momento da compra e não tinha intenção de enganar. Lowell pressionou um agente do FBI a reconhecer que os promotores só tinham provas do vício de Hunter antes ou depois, e não durante o período em que ele possuía a arma.

O julgamento segue-se a outra inovação histórica – a condenação criminal, na semana passada, de Donald Trump, o primeiro presidente dos EUA a ser considerado culpado de um crime. Trump é o adversário republicano de Joe Biden, um democrata, nas eleições de 5 de novembro.

Kestan também descreveu uma mensagem de Hunter Biden na qual ele disse, um mês após a compra da arma em outubro de 2018, que poderia ficar sóbrio, mas “sempre serei um viciado”.

A defesa tem trabalhado para mostrar que os promotores não apresentaram muitas evidências de que Hunter Biden usava drogas no momento em que comprou a arma.

Questionado por Lowell, Kestan disse que não o viu nas semanas anteriores e posteriores à compra da arma. Ela também reconheceu que quando ele se descreveu como sempre um viciado, ele estava usando a linguagem associada a pessoas que estão se recuperando do abuso de substâncias.

Hunter Biden é acusado de mentir sobre o uso de drogas ilegais quando comprou um revólver Colt Cobra calibre .38 e possuiu ilegalmente a arma por 11 dias em outubro de 2018.

O julgamento ocorre depois que um acordo judicial que teria resolvido o caso desmoronou em julho do ano passado.

Se for condenado por todas as acusações no caso de Delaware, Hunter Biden pode pegar até 25 anos de prisão, embora os réus geralmente recebam penas mais curtas, de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA.

Source link

By admin

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *