• Dom. Jun 23rd, 2024

Por que o Lakers parece disposto a apostar no potencial de JJ Redick

Byadmin

Jun 6, 2024

Com o Los Angeles Lakers apostando em JJ Redick como o favorito para se tornar o próximo treinador principal, uma das maiores questões remanescentes da franquia na offseason deve ser respondida relativamente em breve.

Durante semanas, Redick, 39, foi o que mais chamou a atenção pela posição vaga de treinador principal do Lakers nos círculos da liga. Embora nenhuma decisão final tenha sido tomada e o Lakers ainda tenha etapas em sua busca por treinador, tudo indica que Redick é o favorito enfático. Como O Atlético relatado anteriormente, o Lakers está apaixonado pelo potencial de Redick e o vê como um técnico em potencial, como Pat Riley, de acordo com fontes da liga.

Redick verifica muitas das caixas da extensa lista de verificação do Lakers para seu próximo treinador.

A franquia vê Redick como o candidato que pode maximizar a janela do campeonato de curto prazo com LeBron James e Anthony Davis, mas também impulsionar a cultura e a sustentabilidade de longo prazo da próxima era do Lakers. Ele se projeta como um treinador que terá seriedade para comandar o vestiário e também responsabilizar os jogadores melhor do que seus dois antecessores, Frank Vogel e Darvin Ham.

Não há dúvidas sobre a ética de trabalho de Redick, especialmente em comparação com a de Ham. Uma das reclamações internas comuns de Ham era sua falta de preparo. Por outro lado, Redick é obsessivamente estruturado e organizado, desde a tentativa dogmática de 342 arremessos na velocidade do jogo todos os dias durante a entressafra como jogador para se tornar rapidamente um dos principais analistas e podcasters da NBA após se aposentar em 2021.

A inteligência de Redick, a competitividade maníaca como veterano de 15 anos da NBA, a atenção aos detalhes e a atitude geral (ele disse que “ama” jogadores que tenha “um pouco de- para eles”) são características atraentes para o Lakers. Seu conhecimento de mídia também não atrapalha em um show de alto nível, onde a resposta errada em uma coletiva de imprensa se tornará viral e liderará talk shows esportivos e nas redes sociais por dias.

VÁ MAIS FUNDO

The Pulse: a aposta incrível do Lakers

Se o Lakers contratar Redick, seria uma aposta definitiva em seu potencial. Também seria um desvio das recentes decisões de treinador da franquia. A linhagem está repleta de contratações com laços notáveis ​​​​com a franquia, desde ex-jogadores como Byron Scott e Luke Walton até ex-assistentes como Ham.

Enquanto isso, as exceções – Mike Brown, Mike D’Antoni e Vogel – eram treinadores experientes e talentosos. Todos os três eram bem conceituados em toda a liga e foram contratados em outro lugar após serem demitidos pelo Lakers. Eles também foram treinadores principais por pelo menos cinco temporadas e fizeram pelo menos uma aparição em finais de conferências. D’Antoni foi contratado em parte por causa de seu relacionamento com Steve Nash, que o Lakers adquiriu antes da temporada 2012-13.

Redick entraria na categoria de técnico da NBA com a cor verde – ele não treinou acima do nível juvenil – e sem qualquer vínculo com a franquia do Lakers como ex-jogador ou treinador. Isso nos leva ao elefante na sala: é impossível discernir o quanto seu relacionamento profissional com James está influenciando os cálculos do Lakers. O CEO da Klutch Sports e agente de James, Rich Paul, disse O Atlético que James não está envolvido na busca por coaching e não apoiou Redick como seu candidato preferido.

Ao mesmo tempo, a química entre os dois, que co-apresentam o Cuidado com o jogo podcast, tem sido palpável, especialmente quando se analisa a estratégia e a filosofia do basquete. É difícil acreditar que o Lakers, se decidisse por Redick, não faria pelo menos a escolha do jogador da franquia. No mínimo, o Lakers precisa projetar o tipo de atributos que James, que tem uma opção de jogador de US$ 51,4 milhões para a próxima temporada, gostaria de ter em uma nova contratação. Sua contribuição continua inestimável, especialmente com sua capacidade de testar a agência gratuita neste verão.

O principal concorrente de Redick durante todo o processo, pelo menos nas últimas semanas, foi James Borrego. O técnico associado do New Orleans Pelicans e ex-chefe do Charlotte Hornets se reuniu com os acionistas do Lakers na semana passada nas instalações de treino do time e foi impressionante durante suas reuniões, disseram fontes da liga e do time. Davis e Borrego se cruzaram brevemente em Nova Orleans antes da temporada de estreia de Davis, e os dois mantiveram um relacionamento sólido. Tanto o Lakers quanto Paul reconhecem que o Lakers deveria fazer essa contratação pensando mais em Davis do que em James, o que é parte da razão pela qual Borrego foi tão fortemente considerado.

Isso também fala de um ponto mais amplo: este não é exatamente um grupo de coaching muito procurado. A opção mais bem-sucedida foi Mike Budenholzer, mas ele compartilhava muitas semelhanças com Ham. Ele também concordou com os termos de sua cidade natal, Phoenix Suns. O sonho do Lakers de contratar o ex-técnico de James, Tyronn Lue, nunca se concretizou; ele agora é o técnico do Los Angeles Clippers em um futuro próximo, após assinar uma prorrogação de contrato.

Borrego e o assistente técnico do Golden State Warriors, Kenny Atkinson, são assistentes bem conceituados, mas têm recordes abaixo de 0,500 como treinadores principais e supostamente perderam seus respectivos vestiários nas últimas temporadas. Haveria algum risco em elevar qualquer um dos assistentes do Boston Celtics, Sam Cassell, do assistente do Denver Nuggets, David Adelman, do assistente do Minnesota Timberwolves, Micah Nori, ou do assistente do Miami Heat, Chris Quinn, para uma posição que nunca ocuparam, especialmente em um vestiário que tem tem sido um desafio comandar nas últimas temporadas.

O que não quer dizer que contratar Redick seja à prova de falhas. Suas deficiências são óbvias; ele nunca treinou antes. Até mesmo Steve Kerr, um análogo popular de Redick, pelo menos tinha experiência de gerente geral, além de seu currículo de radiodifusão e jogo, antes de assumir o cargo dos Warriors no verão de 2014. Redick é uma caixa misteriosa – mas pela qual os Lakers parecem intrigados. e pronto para abrir.

vá mais fundo

VÁ MAIS FUNDO

Cronologia dos treinadores do Lakers nas últimas 12 temporadas

Ainda existem várias perguntas sem resposta sobre o Lakers e o Redick. O Lakers ainda não tomou uma decisão oficial e parece não ter pressa em fazê-lo. Redick está atuando como comentarista da ABC nas finais da NBA, que começam quinta-feira em Boston. Há uma sensação na liga de que Redick, se contratado, teria que se juntar ao Lakers após o término da final. Uma rápida aceleração antes do Draft da NBA não é o ideal, mas parece ser o resultado mais provável se Redick for de fato a escolha.

Além disso, há a questão da comissão técnica de Redick. Os candidatos a assistente técnico incluirão Borrego, Cassell, o ex-Laker Rajon Rondo, o ex-Laker e atual assistente do Dallas Mavericks, Jared Dudley, e o ex-técnico e assistente Scott Brooks, de acordo com fontes da liga. Se o Lakers contratar Redick, eles prefeririam ter Borrego e Cassell na equipe de Redick como principais assistentes, segundo essas fontes. Los Angeles Times foi o primeiro a relatar os nomes dos candidatos a assistente técnico.

Contratar Redick apresenta um risco significativo devido à sua inexperiência. No papel, ele tem muitas das boas-fés de uma sólida perspectiva de coaching. Mas é difícil prever quanto disso se traduzirá a partir do Dia 1, num ambiente ganha-agora para a principal franquia da liga e para o cargo de treinador mais examinado do basquete.

Vencer cedo como treinador não se traduz necessariamente em segurança no emprego em Los Angeles. Vogel ganhou um campeonato em sua primeira temporada e foi demitido após a terceira temporada. Ham levou o Lakers às finais da Conferência Oeste como técnico do primeiro ano e foi dispensado após sua segunda temporada. Mesmo que Redick acabe com sua estreia como treinador, a pressão e o escrutínio continuam ano após ano. Raramente há tempo para respirar como técnico do Lakers.

Redick está ciente dos desafios que surgem tanto com a posição do Lakers quanto com o fato de ser um treinador principal da NBA pela primeira vez, mas está disposto a aceitá-los e está se preparando adequadamente, de acordo com fontes da liga. Essa abordagem proativa, combinada com seu potencial e personalidade, é o motivo pelo qual ele é o favorito do Lakers.


(Foto superior: Jesse D. Garrabrant/NBAE via Getty Images)



Source link

By admin

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *