• Sex. Jun 21st, 2024

Dezenas de mortos perto da capital do Sudão enquanto ONU alerta sobre aumento de deslocamentos

Byadmin

Jun 7, 2024

O ataque na cidade irmã de Cartum, Omdurman, ocorre no momento em que a ONU afirma que o deslocamento interno no Sudão está se aproximando de 10 milhões.

Ativistas pró-democracia no Sudão dizem que cerca de 40 pessoas foram mortas em “violento fogo de artilharia” por forças paramilitares na cidade gêmea da capital sudanesa, Cartum, à medida que os combates e os deslocamentos se intensificam em todo o país devastado pela guerra.

O Comité de Resistência Karari, uma das centenas de organizações de base que coordenam a ajuda em todo o Sudão, disse na sexta-feira que o grupo Forças de Apoio Rápido (RSF) estava por trás do ataque mortal a Omdurman um dia antes.

“Até agora, o número de mortos é estimado em 40 civis e há mais de 50 feridos, alguns gravemente”, afirmou o Comité de Resistência Karari num comunicado publicado nas redes sociais.

“Ainda não há uma contagem precisa do número de vítimas”, afirmou, acrescentando que os corpos foram recebidos pelo hospital universitário Al Nao e outras instalações de saúde privadas ou foram enterrados por familiares.

O relatório surgiu poucos dias depois de um ataque da RSF a uma aldeia no estado central de Gezira, no Sudão, ter matado pelo menos 100 pessoas, segundo activistas locais.

A guerra eclodiu no Sudão em meados de Abril de 2023 entre as Forças Armadas Sudanesas (SAF) e a RSF paramilitar, criando a maior crise de deslocamento do mundo e deixando pelo menos 15.500 pessoas mortas, segundo estimativas das Nações Unidas.

O ataque mortal à aldeia de Wad al-Noura na quarta-feira suscitou condenação generalizada esta semana, incluindo da Directora Executiva da UNICEF, Catherine Russell, que disse que pelo menos 35 crianças foram mortas e mais de 20 ficaram feridas.

“Este é mais um triste lembrete de como as crianças do Sudão estão a pagar o preço da violência brutal”, disse Russell num comunicado. declaração na quinta feira.

“No ano passado, milhares de crianças foram mortas e feridas. Crianças foram recrutadas, raptadas e sujeitas a violações e outras formas de violência sexual. Mais de cinco milhões de crianças foram forçadas a abandonar as suas casas.”

Os combates continuam diariamente, inclusive na capital Cartum, com ambos os lados acusados ​​de crimes de guerra, incluindo ataques deliberados contra civis, bombardeamentos indiscriminados de áreas residenciais e bloqueio da ajuda humanitária.

Outro ponto crítico é a cidade de el-Fasher, na região norte de Darfur, no Sudão, onde as forças paramilitares da RSF lançaram recentemente um ataque mortal.

Mais de 800 mil civis estão presos em el-Fasher enquanto a violência aumenta, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) da ONU, e os cuidados de saúde e outros serviços entram em colapso.

“Estradas cruciais que saem de el-Fasher estão bloqueadas, impedindo que os civis cheguem a áreas mais seguras, ao mesmo tempo que limita a quantidade de alimentos e outra ajuda humanitária que chega à cidade”, disse Othman Belbeisi, diretor regional da OIM para o Médio Oriente e Norte. África, disse na quinta-feira.

O A OIM também alertou que o deslocamento interno em todo o Sudão poderá em breve ultrapassar os 10 milhões.

A agência disse que 9,9 milhões de pessoas foram deslocadas internamente nos 18 estados do país; mais de metade dos deslocados são mulheres e mais de um quarto são crianças com menos de cinco anos.

“Imagine uma cidade do tamanho de Londres sendo deslocada. É assim que acontece, mas está a acontecer com a constante ameaça de fogo cruzado, com fome, doenças e brutal violência étnica e de género”, disse a Diretora Geral da OIM, Amy Pope.

Source link

By admin

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *