• Dom. Jun 16th, 2024

EUA forneceram apoio às forças israelenses no resgate de 4 reféns em Gaza

Byadmin

Jun 8, 2024

Os Estados Unidos prestaram apoio ao bem-sucedido ataque das forças de segurança israelenses que resgatou quatro reféns vivos do cativeiro em Gaza no sábado, duas autoridades dos EUA confirmaram à CBS News. Os militares dos EUA não participaram da operação, disse uma autoridade dos EUA.

Numa declaração emitida pela Casa Branca, o Conselheiro de Segurança Nacional Jake Sullivan felicitou as forças de segurança israelitas pelo sucesso da operação e fez uma referência indireta ao apoio dos EUA a todos os esforços para libertar reféns ainda detidos pelo Hamas, incluindo através de “negociações em curso ou outros meios”.

A CBS News soube no sábado que o papel dos EUA veio principalmente na forma de apoio de inteligência. Duas autoridades norte-americanas confirmaram isso, mas recusaram-se a partilhar detalhes sensíveis sobre a operação. Um operador especial israelita perdeu a vida na operação de resgate e quase 100 palestinianos foram mortos.

A administração Biden tem realizado um grande esforço desde 7 de outubro para fornecer apoio a Israel em questões de reféns, incluindo apoio diplomático, de inteligência e, por vezes, militar. Os EUA já reconheceram anteriormente o fornecimento de apoio de vigilância aérea para ajudar a localizar reféns.

O vídeo que circula online no sábado mostra um helicóptero das FDI decolando da praia com o cais dos EUA ao fundo. Duas autoridades dos EUA disseram à CBS News que o cais dos EUA não foi usado na operação das FDI. Está offshore para ajudar na entrega de ajuda humanitária. Um funcionário dos EUA explicou que o helicóptero pousou ao sul das instalações, em uma praia, mas não dentro da área isolada do cais.

“As instalações do cais não foram usadas na operação de resgate de reféns hoje em Gaza. Uma área ao sul das instalações foi usada para devolver com segurança os reféns a Israel”, disse uma autoridade dos EUA. “Qualquer afirmação em contrário é falsa. O cais temporário na costa de Gaza foi criado com um único propósito: ajudar a levar para Gaza a assistência vital mais urgentemente necessária.”

Ainda estão em curso esforços diplomáticos para negociar a libertação dos restantes reféns, incluindo cinco cidadãos norte-americanos desaparecidos.

No sábado, o comandante do Hamas, Yahya Sinwar, ainda não havia respondido oficialmente à última oferta de agrupar a libertação dos reféns mais vulneráveis, juntamente com a libertação de prisioneiros palestinos dos centros de detenção israelenses, juntamente com uma onda de ajuda humanitária durante um período de seis semanas. longa cessação da violência. A administração Biden está esperançosa de que a cessação possa ser estendida a um cessar-fogo de longo prazo e, em última análise, ao fim da guerra.

Três responsáveis ​​com conhecimento das conversações disseram à CBS News que um ponto crítico nas negociações até agora tem sido a referência a um “cessar-fogo permanente” que é politicamente sensível em Israel e que agora está a ser rebatizado como uma “calma sustentável”. O fim permanente das hostilidades seria considerado parte da Fase Dois de um acordo potencial, e os detalhes ainda precisariam ser acordados com base no sucesso da Fase Um.

Entre os reféns que se acredita estarem detidos em Gaza estão cinco cidadãos norte-americanos desaparecidos, bem como os restos mortais de outros três cidadãos norte-americanos.

David Martin, Clarie Day, Olivia Gazis e Ed O’Keefe contribuíram para este relatório.

Source link

By admin

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *