• Dom. Jun 23rd, 2024

Macron da França dissolve parlamento e pede eleições legislativas antecipadas

Byadmin

Jun 9, 2024

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse no domingo que estava dissolvendo a Assembleia Nacional e convocando eleições legislativas antecipadas depois que seu partido sofreu uma pesada derrota nas eleições para o Parlamento Europeu.

Num discurso à nação a partir do palácio presidencial do Eliseu, Macron disse: “Decidi devolver-vos a escolha do nosso futuro parlamentar através da votação. Estou, portanto, dissolvendo a Assembleia Nacional.” A votação ocorrerá em dois turnos, em 30 de junho e 7 de julho, disse ele.

A medida ocorre no momento em que os primeiros resultados projetados pela França, no domingo, colocam o partido de extrema direita Reunião Nacional, de Marine Le Pen, bem à frente nas eleições parlamentares da União Europeia, derrotando os centristas pró-europeus de Macron, de acordo com institutos de pesquisa de opinião franceses. É também um enorme risco político, uma vez que o seu partido poderá sofrer mais perdas, prejudicando o resto do seu mandato presidencial, que termina em 2027.

Para piorar a situação, o principal candidato do Rally Nacional, Jordan Bardella, de 28 anos, assumiu imediatamente um tom presidencial com o seu discurso de vitória em Paris, abrindo com “Meus queridos compatriotas” e acrescentando que “o povo francês deu o seu veredicto, e é final.”

TOPSHOT-FRANÇA-UE-POLÍTICA
Esta captura de tela mostra o presidente da França, Emmanuel Macron, falando durante um discurso televisionado à nação em Paris, em 9 de junho de 2024.

LUDOVIC MARIN/AFP via Getty Images


Macron reconheceu o baque da derrota. “Ouvi a sua mensagem, as suas preocupações, e não as deixarei sem resposta”, disse ele, acrescentando que convocar eleições antecipadas apenas ressaltou as suas credenciais democráticas.

As eleições de quatro dias nos 27 países da UE foram o segundo maior exercício de democracia do mundo, atrás apenas As recentes eleições na Índia. No final, a ascensão da extrema direita foi ainda mais impressionante do que muitos analistas previam. O Rally Nacional Francês situou-se em pouco mais de 30%, ou cerca do dobro do partido centrista pró-europeu Renew de Macron, que deverá atingir cerca de 15%.

Na Alemanha, o partido social-democrata, há muito estabelecido, do chanceler Olaf Scholz, ficou atrás da Alternativa para a Alemanha, de extrema-direita, que subiu para o segundo lugar. As projeções indicavam que a AfD superou uma série de escândalos envolvendo o seu principal candidato para subir para 16,5%, acima dos 11% em 2019. Em comparação, o resultado combinado dos três partidos da coligação governamental alemã mal ultrapassou os 30%.

Estas eleições ocorrem num momento de teste para a confiança dos eleitores num bloco de cerca de 450 milhões de pessoas. Nos últimos cinco anos, a UE foi abalada pela pandemia do coronavírus, por uma recessão económica e por uma crise energética alimentada pelo maior conflito terrestre na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Mas as campanhas políticas centram-se frequentemente em questões que preocupam cada país e não em interesses europeus mais amplos.

Source link

By admin

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *