• Seg. Out 2nd, 2023

Sismo de magnitude 3,7 registado na zona de Olhão, 10 horas depois de outro abalo em Albufeira – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 5, 2023


Um sismo com magnitude 3,7 na escala de Richter foi registado esta terça-feira de manhã no Algarve, 10 horas depois de um outro sismo ter ocorrido na região, durante a madrugada, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O último sismo, registado às 11h17 nas estações da Rede Sísmica do Continente, teve o seu epicentro a cerca de 50 quilómetros a sul de Olhão, no distrito de Faro, adiantou o IPMA, em comunicado, a 20 km de profundidade.

“Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima III/IV (escala de Mercalli modificada) nos concelhos de Faro, Loulé e Olhão”, lê-se na nota.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante a madrugada, às 1h49, na mesma área do Algarve ocorreu um outro sismo, com magnitude 3,9 na escala de Richter e epicentro localizado a 98 quilómetros a sul-sudoeste de Faro. De acordo com o instituto, este abalo “foi sentido com intensidade máxima III (escala de Mercalli modificada) na região de Albufeira”, a 1 km de profundidade.

Quando há uma intensidade III, considerada fraca, o abalo é sentido dentro de casa e os objetos pendentes baloiçam, sentindo-se uma “vibração semelhante à provocada pela passagem de veículos pesados”, revela o IPMA na sua página da Internet.

Segundo a escala de Richter, os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequenos (2,0-2,9), pequenos (3,0-3,9), ligeiros (4,0-4,9), moderados (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grandes (7,0-7,9), importantes (8,0-8,9), excecionais (9,0-9,9) e extremos (quando superior a 10).

Os dois sismos registaram-se em regiões diferentes e falhas diferentes, o que significa que um não foi uma réplica do outro, mas sim sismos diferentes. Portugal fica situado numa região sísmica e é afetado por várias falhas, em constante movimento.

A placa africana está a rachar o país e mais uma dúzia de dúvidas sobre sismos



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *