• Ter. Mar 5th, 2024

“Dizia que me ia matar, que se ia matar.” Antony está a ser acusado de violência doméstica e já foi dispensado da seleção brasileira – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 5, 2023

Começou como uma bola de neve, tornou-se uma avalanche, já começou a ter consequências: Antony, jogador do Manchester United, foi acusado de violência doméstica pela ex-namorada e dispensado da concentração da seleção do Brasil, para a qual tinha sido convocado para disputar dois jogos de apuramento para o Campeonato do Mundo.

“Em função dos factos que vieram a público envolvendo o atacante Antony, do Manchester United, e que precisar de ser apurados, e a fim de preservar a suposta vítima, o jogador, a seleção brasileira e a CBF [Confederação Brasileira de Futebol], a entidade informa que o atleta está desconvocado da seleção brasileira”, pode ler-se no comunicado emitido esta segunda-feira pelo organismo que regula o futebol do país.

O episódio explodiu nos últimos dias, quando o jornal brasileiro UOL publicou uma longa reportagem onde a ex-namorada do jogador o acusa de a agredir fisicamente e psicologicamente em mais do que uma ocasião, partilhando fotografias e mensagens entre os dois. Gabriela Cavallin, DJ e influencer nas redes sociais, conta que conheceu Antony no verão de 2021 e que os dois começaram uma relação pouco depois — ou seja, quando o avançado ainda representava o Ajax e antes de assinar pelo Manchester United.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O primeiro episódio de violência terá acontecido em junho do ano passado, numa altura em que Gabriela Cavallin estava grávida, mas o casal atravessava um breve período de separação. Antony terá encontrado a namorada na discoteca em que também estava, retirou-a do local à força e colocou-a dentro do próprio carro, ameaçando depois empurrá-la para a estrada a alta velocidade.

Uma nuvem negra sobre o futebol. A (cada vez mais) longa lista de jogadores acusados de crimes sexuais

“Disse-me que se não ficasse com ele, não ficaria com ninguém. Que eu estava grávida de um filho dele. Que ficava com ele ou morria eu, ele e o nosso filho. Eu disse-lhe que estava grávida, que estava a assustar-me, que o meu coração estava a acelerar. Tremia de medo”, contou a brasileira ao UOL, revelando que acabou por perder o bebé no mês seguinte e ao fim de 16 semanas de gravidez.

O segundo episódio de violência terá acontecido no passado mês de janeiro, já depois da transferência de Antony para o Manchester United e do Mundial do Qatar, em que o avançado participou. “Não me lembro exatamente por causa de quem é que era a briga, mas era alguém com quem eu já tinha estado há uns anos. Deu-me um soco no peito e o meu silicone virou. Tive de ir para o Brasil para ser operada, para trocar a prótese. Ele dizia ‘não quis magoar-te, foi sem querer, não foi um soco, só te empurrei”, recordou Gabriela Cavallin, acrescentando que o jogador ainda a agrediu com uma cabeçada e que nessa mesma noite foi assistida por um médico no hotel em que estava a pernoitar, em Manchester.

Do inferno ao céu: dribles aos traficantes levaram Antony ao Mundial

Por fim, e num episódio que acabou por ditar a separação definitiva do casal e a ida de Gabriela Cavallin para o Brasil, Antony terá tentado agredir a namorada com um copo de vidro, acabando por feri-la na mão quando esta tentou proteger a cara. “Trancou a porta de casa e não me deixava sair, eu com o dedo aberto, magoada. Partiu as minhas coisas, agarrou no meu passaporte. Estava transtornado, a atirar-me bolas de futebol, a atirar-me o telemóvel. Dizia que me ia matar e que se ia matar”, contou a brasileira.

Gabriela Cavallin apresentou uma queixa-crime contra Antony junto das autoridades de São Paulo e Manchester, com a polícia da cidade inglesa a confirmar ao jornal The Telegraph que está “a par das alegações”. Nas redes sociais, o jogador brasileiro emitiu um comunicado onde rejeita as acusações de agressão e defende que a ex-namorada mudou de versão várias vezes ao longo do tempo.

Quase voltou, Mundial feminino atrasou o anúncio, a ameaça de greve: os três dias que afastaram Mason Greenwood do United

“Em respeito aos meus fãs, amigos e familiares, sinto-me na obrigação de me manifestar publicamente sobre as falsas acusações de que tenho sido vítima. Desde o início tenho tratado este assunto com seriedade e respeito, prestando os devidos esclarecimentos perante a autoridade policial […] Posso afirmar com tranquilidade que as acusações e que a prova já produzida e as demais que serão produzidas demonstram que sou inocente das acusações feitas. A minha relação com a Gabriela era tumultuosa, com ofensas verbais de ambos os lados, mas jamais pratiquei qualquer agressão física. A cada momento, seja em depoimento ou em entrevista, ela apresenta uma versão diferente das acusações. Assim, venho veementemente negar as acusações feitas”, escreveu o internacional brasileiro.

Resta agora saber se, depois da seleção brasileira, o Manchester United vai tomar algum tipo de atitude relativamente a Antony — pouco depois de ter afastado e emprestado Mason Greenwood, avançado inglês que foi recentemente acusado e absolvido de agressão, tentativa de violação e tentativa de homicídio.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *