• Ter. Mar 5th, 2024

Kim Kardashian escreve carta aberta a Biden para que os EUA intervenham entre a Arménia e o Azerbaijão – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 9, 2023

A empresária e influencer Kim Kardashian, de origem arménia, escreveu uma carta aberta a Joe Biden, Antony Blinken e a outros representantes dos EUA num apelo para que intervenham na tensão entre a Arménia e o Azerbaijão e impeçam aquilo que diz ser um novo genocídio.

Com o título “O meu apelo a Joe Biden para impedir outro genocídio arménio”, a carta foi publicada na revista Rolling Stone e é também assinada pelo médico Eric Esrailian, de origem arménia.

“Somos arménios. Somos descendentes dos sobreviventes do genocídio arménio e não queremos de falar sobre o reconhecimento ou comemoração de mais um genocídio no futuro“, começam, avançando depois para a situação humanitária de Nagorno-Karabakh, enclave arménio bloqueado pelo Azerbaijão há nove meses e com cerca de 120 mil pessoas, a maioria dos quais arménios.

Organização das Nações Unidas reúne de emergência sobre crise humanitária em Nagorno-Karabakh

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O corredor de Latine é a única ligação terrestre entre a Arménia e o enclave e está bloqueado desde dezembro. Primeiro por alegados manifestantes ambientalistas azeris e depois pelas autoridades do Azerbaijão, que justificaram a decisão com razões de segurança.

No entanto, segundo o jornal espanhol El País, representantes de Nagorno-Karabakh afirmam que o bloqueio é, na realidade, uma conspiração do governo do Azerbaijão com o objetivo de privar a região das 400 toneladas de produtos básicos que chegam diariamente da Arménia. Em maio, a Arménia chegou mesmo a afirmar que estava disposta a reconhecer a soberania do Azerbaijão sobre Nagorno-Karabakh — controlada por separatistas arménios desde 1994, com o apoio da Rússia e do governo de Erevan — em troca de garantias de segurança para os arménios que vivem na região. Desde então, a escassez de alimentos, medicamentos e combustível tem aumentado.

“É evidente que este bloqueio impiedoso ultrapassou todas as linhas vermelhas dos direitos humanos e do direito humanitário. O bloqueio de grupos de direitos humanos, como o Comité Internacional da Cruz Vermelha, bem como a retórica odiosa que acompanha o bloqueio são sinais de intenção genocida”, escrevem Kardashian e Esrailian.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arménia alertou numa reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, no mês passado, para a dificuldade que as pessoas da região enfrentam para conseguir comprar comida. O ministro citou um relatório do antigo procurador-geral do Tribunal Penal Internacional, Luis Moreno Ocampo, segundo o qual “há uma base razoável para acreditar que está a ser cometido um genocídio”. “A fome é a arma invisível do genocídio”, afirmou Ararat Mirzoyan,

Arménia e Azerbaijão trocam acusações sobre crise humanitária em Nagorno-Karabakh

Kardashian e Esrailian recorreram também a Luis Moreno Ocampo, citando: “Uma das formas de cometer genocídio é infligir as condições que permitem a destruição física de um grupo e isso já está a acontecer. Não há crematórios ou ataques com catanas. A fome é a arma invisível do genocídio. Sem uma mudança drástica, este grupo de arménios será destruído dentro de semanas”.

Com a carta, a empresária e o médico apelam a que sejam impostas sanções económicas ao Azerbaijão e cortes penais internacionais e de ajuda estrangeira. “Mas o processo está a decorrer muito lentamente e o tempo está a passar. Como cidadãos, apelamos a líderes como o Presidente Biden, o Secretário de Estado, [Antony] Blinken, e os seus colegas para que tomem uma posição imediatamente. Têm de pressionar o Azerbaijão a abrir incondicionalmente o corredor”, escreveram.

“Os Estados Unidos têm a capacidade de mobilizar uma resposta“, acrescentam, afirmando que vão continuar a chamar a atenção para o tema e a fazer tudo o que conseguirem.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *