• Qui. Fev 29th, 2024

A maior ameaça à maioria PSD/CDS quer “dar coça” e segurar Albuquerque ao mesmo tempo – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 19, 2023

André Ventura pegou nas baquetas e, sem ritmo, batia no tambor enquanto cantava: “Qu’a gente vamos bailar/O bailinho da Madeira“. Na fraca atuação musical de julho numa arruada no Funchal, o líder do Chega deixava, de forma involuntária, duas premonições para as regionais: que ia dar um bailinho aos outros partidos mais pequenos e que ia desafinar. Ninguém tem crescido como o Chega na Madeira (as sondagens já apontam três deputados regionais), mas há incoerência sobre o que fazer com a representação parlamentar: se o líder nacional diz que Albuquerque tem de se demitir, o líder regional diz ao Observador que prefere que o atual presidente governe em minoria. Duas diferentes opiniões, num espaço de 20 minutos.

André Ventura chegou à Madeira no domingo e, horas depois, descrevia num tom de satisfação o sonho de uma noite eleitoral: “Já estou a ver aqui: vou ter a melhor noite da minha vida. Vamos dar a maior coça eleitoral de sempre a Miguel Albuquerque”. A sondagem da manhã seguinte deu-lhe meia razão: o Chega aparece como a quarta força, mas PSD e CDS mantinham a maioria absoluta. A sondagem desta terça-feira, da RTP, vai no mesmo sentido.

O Chega tem tido dos crescimentos mais fulgurantes na Madeira. Se nas eleições regionais de 2019 teve apenas 619 votos, nas legislativas de 2022 conseguiu 7.727 votos e passou a ser a quarta força política na ilha (ficou a apenas mil votos do Juntos Pelo Povo).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *