• Sex. Mai 24th, 2024

Torre do Tombo mostra “retrato do país” na Revolução dos Cravos – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Abr 10, 2024

Em declarações à agência Lusa, a responsável explicou que a exposição, intitulada Dias de Abril: Um Caminho, Múltiplas Vozes“, resulta do trabalho em rede da Torre do Tombo com os arquivos distritais, tendo para esta exposição contribuído outros arquivos públicos e coleções privadas.

“A exposição é um retrato do país, a partir de um levantamento realizado por todo o país, através dos arquivos distritais, de fotografias do dia ou dias seguintes ao 25 de Abril de 1974, de todo o território nacional, para, assim, dar uma visão alargada do que foi o 25 de Abril”, disse.

Dias de Abril: Um Caminho, Múltiplas Vozes procura “apresentar um testemunho dos dias de Abril de 1974, em que a madrugada de 25 de Abril mudou para sempre o caminho político e social que Portugal tinha percorrido nos últimos 48 anos.”

Além de fotografia, a exposição inclui outra documentação, nomeadamente um conjunto de provas fotográficas pertencentes ao Arquivo Fotográfico do antigo SNI — Secretariado Nacional de Informação, que “testemunham o movimento militar nas ruas de Lisboa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Apresentam-se também alguns cartazes, imprensa vária da época, nomeadamente as cinco tiragens do Jornal O Século, do dia 25 de Abril de 1974, e uma seleção de documentos do Arquivo [do tenente-coronel] Ernesto Melo Antunes [1933-1999, um dos nomes-chave do Movimento das Forças Armadas], onde se pode observar a sua perspetiva pessoal dos eventos e das reuniões tidas nos dias seguintes à Revolução”.

“Esta exposição encontra-se distribuída por três salas do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, [na cidade universitária] em Lisboa, apresentando a primeira uma perspetiva dos antecedentes próximos do processo revolucionário, uma segunda sala, que expõe o processo revolucionário do Movimento das Caldas [tentativa de golpe de Estado frustrada, ocorrida em 16 de março de 1974] à madrugada do 25 de Abril, e a terceira sala onde é possível observar o reflexo desses dias de Abril a nível nacional.”

A exposição é inauguirada na próxima segunda-feira, as 16:00, e vai estar patente até 28 de junho.

O evento de inauguração tem lugar no dia 15 de abril, pelas 16:00, no Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

Este ano assinalam-se os 50 anos da Revolução de Abril, movimento liderado por militares que colocou fim a um regime autocrático que vigorava desde 1926, agravado pela Constituição de 1933 que impôs a ditadura do Estado Novo, com o seu partido único e a restrição das liberdades cívicas.

O Movimento das Forças Armadas tinha como prioritária a “política dos três D” — Democratizar, Descolonizar, Desenvolver —, que levou à Constituição da República, aprovada pela Assembleia Constituinte em 1976, depois de realizadas as primeiras eleições democráticas em cerca de 50 anos, as primeiras no país de voto universal.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *