• Qui. Jun 13th, 2024

italiano já levantou sete Champions – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Jun 1, 2024

A primeira foi em 1989, pelo AC Milan e contra o Steaua Bucareste, e a segunda foi logo em 1990, novamente pelo AC Milan e contra o Benfica de Valdo, Paneira e Magnusson. Já como treinador, mas ainda pelo mesmo AC Milan, estreou-se em 2003 e repetiu a façanha em 2007. Com o Real Madrid, celebrou em 2014, recuperou o feito em 2022 e voltou a festejar este sábado. Ao todo, entre as duas como jogador e as cinco como treinador, Carlo Ancelotti tem sete Ligas dos Campeões — ninguém, em toda a história do futebol, tem mais. 

Não é sorte, não é fortuna, não é por acaso. É o ADN de quem só sabe ser o maior do mundo (a crónica da final da Liga dos Campeões)

O treinador de 64 anos assumiu-se ainda mais como um dos melhores e maiores treinadores de sempre ao levar o Real Madrid à conquista da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, em Wembley, carimbando o 15.º troféu do clube. Os merengues já mais do que duplicaram o número de títulos do segundo clube mais bem sucedido da competição, os sete do AC Milan, e sagraram-se campeões europeus pela segunda vez em três anos e a sexta nos últimos 11.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda assim, Carlo Ancelotti não foi o único a fazer história na final deste sábado. Com a vitória contra o Borussia Dortmund, Nacho, Dani Carvajal, Toni Kroos e Luka Modric carimbaram a sexta Liga dos Campeões das respetivas carreiras — alcançando Paco Gento, o único jogador que até hoje tinha sido campeão europeu em seis ocasiões. E dos quatro, diga-se, só mesmo o médio alemão não ganhou todos os troféus nos merengues, já que o primeiro foi ainda em 2013 e ao serviço do Bayern Munique.

A título individual, também Vinícius não deixou escapar a oportunidade de inscrever o próprio nome na história desta edição da Liga dos Campeões. Apesar de não ter realizado uma enorme exibição em Wembley, o avançado fez o segundo golo do Real Madrid e tornou-se o primeiro brasileiro a marcar em duas finais da Champions — já que também o tinha feito há dois anos, quando marcou o golo que deu a vitória dos merengues contra o Liverpool.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *