• Dom. Mai 26th, 2024

Galamba afasta adjunto envolvido nas reuniões entre ministério, CEO da TAP e PS

Byadmin

Abr 28, 2023
epa10237955 Portugal's Secretary of State for Environment and Energy Joao Galamba arrives for the European Energy Ministerial Meeting in Prague, Czech Republic, 12 October 2022. Participants at the informal meeting of European energy ministers will discuss topics including hydrogen potential amid current geopolitical situation, energy preparedness for the upcoming winter and also a possible revision of the electricity market. EPA/MARTIN DIVISEK

Em causa está a troca de mensagens de WhatsApp trocadas entre João Galamba e o seu adjunto, Frederico Pinheiro, para preparar a reunião da ex-CEO da TAP com o PS antes da audição em janeiro.

Oministro João Galamba afastou Frederico Pinheiro, o seu adjunto que coordenou o encontro entre o Ministério da Infraestruturas, a CEO da TAP e os deputados do PS no dia 17 de janeiro. A informação foi confirmada pelo próprio ministério, avança a CNN.

Segundo a mesma fonte, o Governo apresentou uma queixa-crime contra o recém demitido adjunto. A CNN Portugal apurou que, após a exoneração, por alegados comportamentos incompatíveis com o cargo, Frederico Pinheiro levou dois computadores do Estado para casa, um deles contendo informação classificada. A Polícia Judiciária realizou buscas e já resgatou os computadores, tendo-os devolvido ao Ministério das Infraestruturas.

Segundo este meio, o ministério refere que Frederico Pinheiro teve “comportamentos incompatíveis com os deveres e responsabilidades das suas funções“. Em causa está a troca de mensagens de WhatsApp trocadas entre João Galamba e o seu adjunto, Frederico Pinheiro, divulgadas na quinta-feira, pela SIC.

Segundo o conteúdo das mensagens divulgadas, João Galamba autorizou a participação de Christine Ourmiéres-Widener na reunião secreta com o grupo parlamentar do PS, dois dias antes da primeira audição parlamentar da antiga CEO da TAP sobre o caso da polémica indemnização paga a Alexandra Reis.

A informação que chegou à comissão de inquérito à TAP mostrou também que na reunião foram combinadas tanto as perguntas que o deputado Carlos Pereira devia fazer no dia seguinte, como as respostas que a ex-administradora devia dar na audição parlamentar.

Frederico Pinheiro começou a sua carreira como jornalista no jornal Record, depois na agência Reuters, Rádio Renascença, semanário Sol e Antena1/RTP. Foi também investigador da Fundação Rosa Luxemburgo (2012 -2014) e, entre 2013 e 2014, esteve como assessor do grupo parlamentar do Bloco de Esquerda.

A partir de 2017, já no Governo PS, fez parte dos gabinetes de Pedro Nuno Santos, primeiro na Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares (2017 -2019) e, a partir de 2019, como adjunto no Ministério das Infraestruturas e da Habitação. Depois da saída de Pedro Nuno Santos, Frederico Pinheiro manteve-se em funções, desta vez ao lado de João Galamba.

No anterior Governo socialista, liderado já por António Costa, em 2019, o adjunto do secretário de Estado da Proteção Civil também saiu de funções, envolto em polémica. A demissão de Francisco Ferreira deu-se na sequência das notícias que davam conta do seu envolvimento no caso das golas inflamáveis.

O caso acabou, depois, por conduzir à demissão de José Artur Neves, secretário de Estado da Proteção Civil, tutelado pelo Ministério da Administração Interna, então liderado por Eduardo Cabrita.

By admin

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *