• Ter. Mar 5th, 2024

o que fez a Arábia Saudita no mercado de verão – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 1, 2023

Foi um mercado inédito e sem precedentes, com um protagonista inesperado. Na Arábia Saudita, no que aos negócios do futebol diz respeito, as calculadoras não têm botões de somar, só de subtrair. Cristiano Ronaldo foi o chamariz perfeito para que todos os outros jogadores se sentissem legitimados a mudarem-se para o mesmo campeonato que o cinco vezes Bola de Ouro. Os milhões gastos foram muitos e podem não ficar por aqui, uma vez que o mercado só fecha a 20 de setembro na Arábia Saudita. E quem já gastou mais de 800 milhões de euros ainda pode fazer um pequeno “esforço” para contratar mais algumas estrelas.

A data de encerramento do mercado não é um detalhe e há inclusivamente quem se sinta ameaçado. A razão é simples. Os clubes europeus estão nas mãos dos sauditas. Com o prazo de inscrição de jogadores esgotado para as equipas dos maiores campeonatos europeus, os clubes ficam com pouca margem de manobra, porque, caso percam jogadores importantes, não há hipótese de encontrarem um substituto.

O Liverpool é quem mais pode sofrer com estes timings. Neste último dia de mercado, o Al-Ittihad, treinado por Nuno Espírito Santo e onde joga atualmente Karim Benzema, chegou-se à frente com 233 milhões de euros para levar Mohamed Salah. Os reds recusaram a proposta, mas isso não quer dizer que um dos clubes financiado pelo fundo de investimento público do reino não volte à carga.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *