• Seg. Abr 15th, 2024

A inveja não é pecado quando se faz por mais (a crónica do Sp. Braga-Sporting) – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 3, 2023

Por um lado, a “inveja” de não estar onde andam os outros. Por outro, a “gula” de fazer mais para chegar a esse ponto à frente de todos os outros. O primeiro jogo grande da nova temporada chegava este domingo à Pedreira com o contexto ideal para mais um encontro eletrizante como o da última época (3-3), tendo um Sp. Braga nas estrelas depois do regresso à fase de grupos da Liga dos Campeões após a vitória no playoff frente ao Panathinaikos e um Sporting na lua com um início só com vitórias e a recuperar nomes que pareciam de vez desaparecidos em combate como o de Paulinho. Não sendo decisivo, por chegar numa fase ainda precoce da campanha, teria a sua importância para o que se seguiria daqui para a frente e quem ganhasse voltaria a encher de novo o balão para o primeiro ciclo a seguir à seleções que trará jogos a meio da semana.

“Há altos e baixos e estamos num momento muito alto mas temos de dar continuidade ao trabalho que tem sido feito e que será posto à prova frente ao Sporting. Quero potenciar o que foram estas vitórias que permitiram o apuramento, potenciar no sentido de a equipa estar animicamente mais forte, tirar partido do momento emocional da equipa, saber que tivemos competência extrema para conseguir resultados, o que não depende só do estado anímico e emocional. Há trabalho, empenho e compromisso dos jogadores. São esses valores que quero que estejam em campo no jogo com o Sporting, que terá a mesma ambição que nós. Vamos procurar ser iguais a nós próximos e lutar pela vitória”, destacara o técnico Artur Jorge na antevisão ao jogo.

“Postura em campo? A mesma de sempre: implementar o nosso jogo, sabendo que vamos jogar contra jogadores experientes. Se tiver de ser um jogo com muitos golos, que sejam do Sporting. Sabemos que é importante não sofrer. A abordagem vai ser a mesma. Ter a bola, criar ocasiões, travar jogadores como Ricardo Horta, Bruma, Abel Ruíz, Moutinho… Como treinador não quero um jogo com muitos golos, quero uma vitória do Sporting”, salientara Rúben Amorim, que mais uma vez voltou a colocar a tónica na consistência defensiva recordando também as três vantagens desperdiçadas em 2022 no jogo em Braga.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *