• Ter. Mar 5th, 2024

Plano Nocional de Leitura (XI) – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 3, 2023

Autopsicografia”, publicado em 1932, é provavelmente o poema mais conhecido de Fernando Pessoa (1888-1935), e um dos poemas mais conhecidos de qualquer português escolarizado. São três quadras em versos de sete sílabas, cuja música faz lembrar o tipo de coisa que encontraríamos espetada num manjerico. Este aspecto pode tê-lo tornado fácil de memorizar; e pode ter-nos feito saltar por cima do título, que tem um ar grego de filosofia que pode assustar.

Há todavia um mistério: quem o conhece consegue lembrar-se quando muito da primeira quadra; e quem o tenta explicar explica no máximo o primeiro verso: “O poeta é um fingidor.” O resto, como diz outro poema de Pessoa, “sobe em mim como uma náusea.” As complicações começam com o fim da primeira quadra (“Que chega a fingir que é dor / A dor que deveras sente”): entramos no vasto território selvagem e desértico só explorado pelos exames de português. A pergunta que fazemos nessas alturas de aflição é: ‘O que é que ele quis dizer com isto?’. Pode não ser despropositado fingir sentimentos que não temos; mas que razão teríamos para fingir sentimentos que já temos? É como fingir que temos uma piscina na nossa casa com piscina.

Nada disto explica que ninguém se lembre bem das outras duas quadras do poema. Na segunda, Pessoa descreve aquilo que a maior parte das pessoas acha acerca de poemas: que o que os poetas querem dizer é diferente daquilo que as pessoas normais querem dizer, e que aquilo que os poetas sentem é diferente daquilo que os civis sentem. Os leitores gostam sempre de imaginar a dor “que eles não têm.” Pessoa parece ter reticências relativamente à inclinação para imaginar que a vida dos outros é diferente da nossa.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *