• Ter. Abr 16th, 2024

Da BBC à Amnistia Internacional. Empresas com as quais Russell Brand colaborou investigam acusações de agressão sexual – Observador Feijoada

ByEdgar Guerreiro

Set 17, 2023

Um dia após ter negado as acusações de violação, agressão sexual e abuso emocional de que é alvo por parte de quatro mulheres, o comediante, influencer e ator Russell Brand está a ser investigado por algumas das empresas com as quais colaborou entre 2006 e 2013, período a que remontam os casos.

Russell Brand trabalhou em programas de rádio da BBC entre 2006 e 2008, por isso, essa empresa disse estar a “analisar com urgência” as “alegações sérias” que foram denunciadas por uma investigação do jornal The Times e do canal televisivo Channel 4.

Comediante e influencer Russell Brand acusado de violação, agressão sexual e abuso emocional

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por sua vez, a Banijay Reino Unido, que comprou a Endemol — que produziu programas que tiveram o comediante como apresentador, como o Big Brother’s Big Mouth, — emitiu um comunicado onde afirmou estar ciente “das alegações muito sérias” relacionadas com a “suposta má conduta grave de Russell Brand enquanto apresentava programas produzidos pela Endemol”. Por isso, anunciou, citada pelo The Guardian, a abertura de uma investigação interna “urgente” e encorajou “qualquer pessoa que sinta que foi afetada pelo comportamento de Brand enquanto trabalhava nessas produções” a contactar a empresa.

Também a Amnistia Internacional instou as mulheres denunciarem a existência de uma eventual “reclamação ou preocupação” relacionada com o comportamento de Russell Brand durante a sua participação em dois eventos de stand-up por si organizados, em 2006 e em 2012. Apesar de não ter recebido quaisquer denúncias até ao momento, a organização encoraja “qualquer mulher a dizer se há algo que seja preocupante que tenha vivenciado naqueles momentos”.

Antes da Amnistia Internacional, já a Trevi Women & Children’s Charity, organização que apoia mulheres vulneráveis que se encontram a recuperar de uma adição com sede em Inglaterra, tinha cortado laços com o influencer e com sua instituição de caridade, a Stay Free Foundation (que apoia e financia projetos que trabalham para ajudar as pessoas com problemas de saúde mental e na “recuperação de vícios”).

No Instagram, a Trevi Women & Children’s Charity relembrou que Russell Brand teve conhecimento do trabalho que desenvolve no ano passado e escreveu que as “revelações dos meios de comunicação têm sido difíceis de processar”. “Como uma instituição de caridade cujos valores colocam as vozes das mulheres no centro do que fazemos, sempre priorizámos o apoio às mulheres afetadas pela violência e pelo abuso e queremos capacitá-las para viverem sem violência e medo”, acrescentou.

Neste momento, Russell Brand encontra-se a dar espetáculos de stand-up um pouco por todo o Reino Unido. Este sábado, após as alegações terem sido tornadas públicas, realizou um espetáculo que já estava agendado, no Troubadour Wembley Park Theatre. Aí, segundo a BBC, disse ao público, que o aplaudiu de pé, que “há obviamente coisas” sobre as quais quer mas não pode falar. “Agradeço que entendam”, pediu.

Nos próximos dias, Russell Brand deverá atuar em Windsor, Wolverhampton e Plymouth, sendo que existem petições online para que esses espetáculos sejam cancelados.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *